O ministro Ricardo Lewandowski opera um verdadeiro ‘golpe’ com o objetivo de escancarar às portas do xilindró para o meliante petista.
A denúncia é do respeitado jornalista José Nêumanne Pinto, publicada nesta quinta-feira (2) no jornal Estadão.





Na matéria, Nêumanne diz o seguinte:
“O ministro do STF Ricardo Lewandowski, sempre disposto a servir a Lula, que o nomeou para o ápice da carreira, acaba de aplicar um novo golpe para tirar o amigo da cela de Estado Maior na PF em Curitiba.
O advogado Duran Gonçález, pra lá de suspeito, pediu um habeas corpus contra decisão do TRF-4. Em minoria no plenário em que a prisão após segunda instância foi permitida por 6 a 5 e em maioria de 3 a 2 na 2.ª Turma, que preside, o benemérito que permitiu Dilma se candidatar e perder, pediu vista para tornar presencial plenário virtual e julgar o mesmo assunto com dois parceiros para chegar a seu objetivo.”






Ou seja, de acordo com o jornalista, Lewandowski conta no plenário presencial com Gilmar e Celso de Mello para soltar Lula na 2ª turma. Esse é o golpe arquitetado.


Veja também; Uma vergonha! STF livra Maia e Renan de inquérito da Lava Jato
Postagem Anterior Próxima Postagem