DEU RUIM! MDB deve trocar Renan por Simone Tebet na disputa do senado

DEU RUIM! MDB deve trocar Renan por Simone Tebet na disputa do senado



O Antagonista apurou que o senador Dario Berger, de Santa Catarina, vai tentar ser o líder do MDB no Senado na nova legislatura.



Antes de se lançar candidato à função, Dario consultou Simone Tebet, a atual líder, que teria dito a ele que não quer continuar na liderança.



Simone quer mesmo é desbancar Renan Calheiros internamente e ser presidente do Senado.




Globo debocha de Bolsonaro em seriado mexicano "Chaves"  (Vídeo)

Globo debocha de Bolsonaro em seriado mexicano "Chaves" (Vídeo)



A TV Globo apresentou na noite desta segunda-feira uma paródia do governo Bolsonaro com uma contundente crítica ao novo governo; Bolsonaro foi apresentado como Jair, o novo dono da Vila Militar do Chaves, numa paródia do seriado mexicano; foi no programa "Tá no Ar: A TV na TV", no quadro estrelado pelo comediante Marcelo Adnet; logo que "Jair" apareceu, Chiquinha bradou o slogan que marcou a campanha eleitoral: "Ele não!"; 



Marcelo Adnet, que já havia imitado Jair Bolsonaro durante a campanha eleitoral, apareceu fardado, em trajes militares, falando como o novo presidente. 



Ele foi apresentado como “o novo dono da vila, Jair”. Falando com a língua presa ao imitar Bolsonaro, Adnet cobra os “14 meses de aluguéis” de seu Madruga – “é melhor você já ir pagando os aluguéis” -, que diz estar desempregado e recebe como resposta: “Desempregado? VA GA BUN DO”, mandando prender o personagem.

assista;





Centrais sindicais do país, vão começar um chamado a greve geral contra Bolsonaro



As Centrais sindicais do país, vão pra cima do presidente Jair Bolsonaro com um chamado a greve geral, registra o painel da Folha.


A primeira reunião das seis maiores centrais sindicais do país após a eleição de Jair Bolsonaro (PSL) vai começar com um chamado a greve geral. 



O presidente da Força, Miguel Torres, defende a articulação de uma grande paralisação, a ser iniciada assim que o governo apresentar sua proposta de reforma da Previdência, o que deve acontecer no início de fevereiro. 



Torres diz ver indícios de que as mudanças serão feitas de forma a poupar determinadas categorias, em especial os militares.

Por pressão popular MDB analisa desistência de Renan na disputa da presidência do Senado

Por pressão popular MDB analisa desistência de Renan na disputa da presidência do Senado



Começa a ganhar força a possibilidade do trêfego senador Renan Calheiros nem sequer sair candidato a presidência do Senado Federal.

Segundo reportagem de Diego Amorim publicada no site O Antagonista, os adversários internos de Renan no MDB avaliam que está em jogo “a sobrevivência do partido” e minam Renan com esse argumento


O revés sofrido pelo partido nas urnas e a ausência de seus caciques, todos derrotados no último pleito, já provoca inclusive o recuo do presidente do partido, antes apoiador de Renan, o senador Romero Jucá, também derrotado nas urnas, já busca uma candidatura alternativa.


A reportagem divulga ainda o relato de dois senadores do MDB. Veja abaixo:

“Essa movimentação existe e tem se intensificado. Havia, digamos assim, um certo entusiasmo em relação à candidatura do Renan, mas hoje há um certo medo de ele trazer desgaste para a presidência e, consequentemente, para o partido.”


“O MDB, muito inteligente que é, não vai querer perder a presidência e se desgastar mais com o restante da Casa. Acho que Renan nem chegará a ser confirmado como candidato.”
Nesse cenário todo, as redes sociais tem feito a diferença e já se constituem no maior algoz do senador alagoano.

-Não vamos desistir de #Renannão. 
-compartilhe


Bolsonaro indicará 15 ministros para a cúpula do Judiciário "o Brasil ganhou"

Bolsonaro indicará 15 ministros para a cúpula do Judiciário "o Brasil ganhou"



O Judiciário de Bolsonaro


O UOL destaca que, em quatro anos de mandato, Jair Bolsonaro vai indicar 15 ministros para a cúpula do Judiciário.



São duas vagas no STF, duas no STJ, três no TST, quatro no TSE e quatro no STM.

Considerando as escolhas que ele já fez nessa área – em particular, Sergio Moro e sua equipe -, o Judiciário só tem a ganhar.

Juiz de Curitiba enfrenta Toffoli e estabelece fiança de R$ 8 milhões  para operador de Richa

Juiz de Curitiba enfrenta Toffoli e estabelece fiança de R$ 8 milhões para operador de Richa



O juiz Paulo Sergio Ribeiro, da 23ª Vara Federal Criminal de Curitiba, estabeleceu fiança de R$ 8 milhões para liberar o empresário Jorge Atherino, preso na operação Piloto.



No último sábado, Dias Toffoli concedeu habeas corpus a Atherino, determinando que a prisão preventiva do acusado fosse substituída por outras medidas cautelares.

Atherino é acusado de atuar no repasse de propina para Beto Richa em troca do favorecimento da Odebrecht na licitação para obras de duplicação da PR-323.



-Parabéns a este juiz, precisamos de outros como ele. O STF caiu em total descrédito.

Plantonista Luiz Fux (STF) que assume plantão do Supremo durante o recesso, pode derrubar decisão de Toffoli que manteve voto secreto no senado

Plantonista Luiz Fux (STF) que assume plantão do Supremo durante o recesso, pode derrubar decisão de Toffoli que manteve voto secreto no senado



Kim Kataguiri preparou recurso ao STF para tentar modificar a decisão de Dias Toffoli que manteve o voto secreto na eleição para a presidência da Câmara, informa o Painel da Folha.



A peça será entregue ainda hoje, dia em que Luiz Fux assumiu o plantão do Supremo durante o recesso.

O regimento da Câmara prevê o voto secreto, e o presidente do STF entendeu que não cabia à corte intervir na votação de outro Poder.



O recurso do deputado eleito argumentará que “o princípio constitucional da publicidade dos atos administrativos deve ser aplicado a toda a administração pública”.

-Toffoli diz que não cabe ao (STF) intervir, mas, isso não é verdade. 
-Vale lembrar, que já anulou até julgamento do Senado, restabelecendo a elegibilidade e até o mandato de Demóstenes Torres. Há intromissão maior?


Vai faltar cadeia: Novo juiz da Lava Jato é mais duro que Moro nas penas contra a bandidagem



Só falta o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) sacramentar, mas nos meios jurídicos e entre os serventuários da Justiça Federal em Curitiba, o nome é dado como certo.
Friedmann Anderson Wendpap deve assumir a titularidade da 13ª Vara Criminal Federal, em substituição ao ex-juiz Sérgio Moro.



A possibilidade, tida como praticamente certa, tem causado verdadeiro pânico entre os defensores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Wendpap chega com a missão de logo de cara sentenciar em dois processos do petista.



A previsão é de penas pesadíssimas.

Em 2016, sites jurídicos especializados já noticiavam o magistrado como ‘mais ousado’ que Moro. Veja a manchete do Conjur do dia 24 de novembro de 2016: Em decisão memorável, o magistrado, numa atitude inédita, havia determinado o bloqueio da receita das empreiteiras Odebrecht e OAS, para tanto utilizou a seguinte argumentação:


“Se a propina de 3% sobre os contratos com a Petrobras que a Odebrecht e a OAS pagavam aos diretores da estatal não ‘tolhia a libido empresarial’ das empreiteiras, o bloqueio desse percentual de suas receitas há de ser motivo de júbilo na purgação das condutas deletérias que privatizaram ilegitimamente os bens públicos.”


Globo já deve o que não vale, mais de 3 BI, e  pode ir a falência

Globo já deve o que não vale, mais de 3 BI, e pode ir a falência

Segundo empresa de auditoria no ramo financeiro, dívida da Rede Globo ultrapassa os três bilhões de reais



A astronômica dívida da Globo, segundo relatório da Price Waterhouse Coopers – Auditores Independentes, assinado por William J.N. Graham, no início de 2002 era de TRÊS BILHÕES, QUINHENTOS E OITENTA E TRÊS MILHÕES DE DÓLARES. Ou seja, mais de DEZ BILHÕES de reais.



Onde as três maiores empresas devedoras são: Globopar, Globo Cabo, Net Sat, que representam cerca de 90% da dívida e onde aparece com destaque até a irresponsável e perdulária Editora Globo, de crônico e sistemático prejuízo, com cerca de 3% do total da dívida.

A única empresa da Rede Globo que, com muita dificuldade, poderia fazer frente a esta fabulosa dívida, e que é lucrativa de verdade, é a TV Globo. Entretanto, nem a TV Globo, com seus seiscentos milhões de dólares anuais, pouco ou nada poderia fazer para salvar o Império Globo da falência. Pois se dos seiscentos milhões de dólares a TV Globo reservar 120 milhões por ano, cerca de 20% (vinte por cento), para amortizar principal e juros, levaria mais de trinta anos para amortizar a fantástica dívida que sufoca e mata a Globo aos poucos.



Vale repetir, com recursos próprios é inimaginável a Globo saldar tão astronômica dívida. Só o governo, através do BNDES, Caixa Econômica, Banco do Brasil, Banco Central, fundos orçamentários e demais verbas públicas é que podem salvar a Globo da irremediável falência.


Mas como a Globo chegou a este ponto? A Globo não é competente?
Arrogância, burrice, arrogância, burrice, arrogância e administração ruinosa e irresponsável. Estes foram os fatores que levaram a Globo ao estado à beira da falência.
Gênios incompetentes de plantão, cujo único predicado é a arrogância, imaginaram um golpe “formidável” de dominar o Brasil inteiro pelo sistema de transmissão a cabo, sufocando e solapando, assim, os demais meios de comunicação do país.



Eu ri muito quando soube dos megalomaníacos planos da Globo, e disse que a Globo iria trabalhar com tecnologia ultrapassada (cabo) e que iria ficar com o cabo (?) preso no poste ao tentar cabear o Brasil inteiro nesta loucura que só um gênio incompetente, arrogante e irresponsável poderia imaginar.



Não deu outra. Foi o maior fracasso da história da televisão no mundo. Até mesmo Bill Gates, que num primeiro momento cogitou participar do empreendimento faraônico, quando viu a loucura que a Globo estava se metendo estacionou em 3% a sua participação e deixou a Globo se esborrachar sozinha neste delírio de faraó tupiniquim.



Encalacrada com uma fabulosa e irresponsável dívida para viabilizar o delírio do domínio do país e dos meios de comunicações pela tv a cabo, a Globo, correndo desesperadamente atrás de dinheiro, viu no BNDES a saída mais rápida e viável para a sua aflição. Mas como sempre com artifícios e ilegalidades, a começar pelo fato do BNDES não poder se relacionar com a Globo Cabo pois a legislação não permite associação do BNDES com empresa de telecomunicação. Mas ardilosamente, fraudulentamente, a Globo Cabo está registrada como empresa de tecnologia e não como empresa de telecomunicação, que de fato é.



Choveram denúncias e mais denúncias contra a participação do BNDES na operação para salvar a Globo da falência, e em meio a uma seara desordenada de denúncias e oposições à questão BNDES, o jornalista Hélio Fernandes, em 14/03/2002, na Tribuna de Imprensa foi categórico: “Deveriam ouvir Romero Machado, que publicou o imperdível “A fundação Roberto Marinho”. Ali está contada de forma irrespondível, a força que a Organização sempre teve na Justiça”. E, de fato, numa sequência de denúncias sérias e fundamentadas foi colocado nos meios de comunicação a impossibilidade e a ilegalidade da associação Globo/BNDES. E com isso a operação salvação da Globo foi parcialmente abortada. Mas é bom manter os olhos permanentemente abertos, pois a Globo continua com uma dívida impagável e o governo (federal, principalmente) vive sempre debaixo de muitos escândalos. E numa dessas a Globo faz o que sempre fez… negocia favores de salvação do PT em troca de sua própria salvação.

Romero trabalhou como Auditor na Rede Globo e Controle da Fundação Roberto Marinho e é autor do livro “Afundação Roberto Marinho.”




Com inflação baixa, governo Bolsonaro pode baixar taxa de juros, diz economista



Para economista, o risco da recessão ainda não passou, mas a economia brasileira pode se recuperar e voltar a crescer.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) anunciou nesta sexta-feira o índice inflacionário, o primeiro divulgado no governo Bolsonaro. Pelo segundo ano consecutivo a inflação brasileira fechou abaixo do centro da meta estabelecida, em em 3,75%. 



A meta oficial de inflação (IPCA) do governo é de 4,5%, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.
Após anos de crescimento da inflação, a realidade inflacionária entregue por Temer deixa Bolsonaro tranquilo para iniciar seu governo? Sputnik Brasil conversou sobre o tema com economista Antônio Carlos Porto Gonçalves, professor da faculdade de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV/RJ), que elogiou os indicadores.



"Temer, com todos os percalços, conseguiu manter a inflação dentro da meta e conseguiu portanto um resultado muito bom", destacou.

Segundo ele, não é necessário reduzir a inflação ainda mais.



"Eu diria que o Brasil agora tem o problema de recuperar o seu crescimento", acrescentou o especialista. 

Ele destacou que ainda que o novo governo tem muito trabalho pela frente, que precisa combater o desemprego e promover a recuperação da economia de produção. No entanto, o economista apontou a possibilidade de uma redução da taxa de juros, justamente pela ausência da inflação.



"Seria muito interessante se ele [Bolsonaro] puder reduzir um pouco os juros. Inclusive isso facilita as contas públicas e também as despesas do governo com juros", pontuou o professor da FGV.



Dessa forma, o consumo e investimento também poderão subir, acrescentou o interlocutor da Sputnik Brasil. Para ele, no final das contas, mesmo com toda a impopularidade, o governo de Michel Temer conseguiu recuperar a economia, comparando com o governo de Dilma Roussef. Por outro lado, ainda é cedo para comemorar, pois o risco de recessão ainda não foi superado.


"Tem aí um problema mundial. A Europa está bastante 'ruinzinha', o Japão e a China também trazem más notícias. Então eu diria que vemos o pico da economia americana, que deve crescer menos agora. E o Brasil, como pertence ao mundo, isso terá um impacto negativo em nós", alertou o economista.



De todo modo, Antônio Carlos Porto Gonçalves se mostrou disposto a depositar a confiança no novo 'superministro' da Economia, Paulo Guedes. A principal tarefa dele, apontou, será política.



"Ele é uma pessoa muito preparada, muito trabalhador, e acho que tem tudo para dar certo. A dificuldade que ele tem, assim como todos, é o Congresso e os políticos", concluiu.