URGENTE; Lula evoca guerra de Canudos ao criticar presidente do TRF4, prendam logo!




Lula evoca guerra de Canudos ao criticar presidente do TRF4,  prendam logo!


Ao criticar as declarações do presidente do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), Thompson Flores, sobre ameaças aos desembargadores que irão julgá-lo no próximo dia 24, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva evocou a guerra de Canudos.
Lula destacou que o desembargador que preside a Corte de apelações da Lava Jato é trineto de um general que morreu durante a ofensiva do Exército contra a comunidade no interior da Bahia, em 1896.

Em evento no Rio, nesta terça-feira, 16, o petista questionou se talvez não esteja sendo visto como um “cidadão de Canudos” e se Thompson Flores, “da mesma linhagem”, não quer “acabar” com sua “viagem”.
Lula participou de ato em seu favor, com cerca de mil pessoas, majoritariamente da área da cultura. Durante o evento, voltou a dizer que a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e o juiz Sérgio Moro, que o condenou a 9 anos e seis meses de prisão no caso triplex, “mentiram” em inquérito, acusação e sentença. O petista disse que Moro deveria ser “exonerado”.


O ex-presidente será julgado no dia 24, pelo TRF-4. Ele apela da sentença de Moro, que o condenou por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O magistrado da Lava Jato entendeu que o triplex no condomínio Solaris, no Guarujá, e suas respectivas reformas custeadas pela OAS, foram formas de pagamento de propinas de R$ 2,2 milhões ao ex-presidente.
Os recursos de Lula e de outros seis réus do processo do triplex serão julgados pelo desembargadores da 8.ª Turma da Corte federal – João Pedro Gebran Neto, Victor Laus e Leandro Paulsen.
Thompson não faz parte do colegiado que decidirá a sorte de Lula. conteúdo; exame





Compartilhe e alcance mais pessoas:

Seguir no twitter;



"A CORRUPÇÃO MATA NA FILA DO HOSPITAL"





Pátria amada Brasil até morrer!
Grupo Público · 50.197 membros
Participar do grupo
Temos total liberdade de apoiarmos a direita encabeçada por Jair Bolsonaro e depois Sergio Moro. junte-se a nós.


As mais lidas do dia..