"Destaque do dia"


O recado de Fux para deputados: "Aprove prisão em 2ª instância" Juízes têm liberado réus aos borbotões

Em evento sobre o Dia Internacional contra a Corrupção, Luiz Fux defendeu que o Congresso aprove uma lei determinando a prisão em segun...




EXTRA; Lula sairá da cadeia para ficar frente a frente com Sergio Moro

Em:
__ Dia e mês: 14.4.18




EXTRA; Lula sairá da cadeia para ficar frente a frente com Sergio Moro






Lula sairá da cadeia para ficar frente a frente com Sergio Moro




Moro e Lula ficarão frente a frente em razão de um terceiro interrogatório, desta vez referente ao processo do sítio de Atibaia (SP)


O primeiro encontro entre o juiz federal Sergio Moro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) após a prisão do petista será no segundo semestre, entre os meses de julho e agosto. Ou seja, será praticamente no início do período eleitoral, sendo que as candidaturas precisam ser registradas até 15 de agosto.


O PT, mesmo com Lula preso, garante que irá inscrevê-lo como seu candidato ao Planalto, mesmo ele sendo, hoje, inelegível com base na Lei da Ficha Lima --o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) terá até meados de setembro para negar ou permitir a candidatura do ex-presidente.





Moro e Lula ficarão frente a frente em razão de um terceiro interrogatório, desta vez referente ao processo do sítio de Atibaia (SP), no qual o ex-presidente é réu ao lado de 12 pessoas. Segundo a acusação, o petista seria o verdadeiro proprietário do imóvel, uma vantagem ligada a um esquema de corrupção entre empreiteiras e a Petrobras.


Nessa ação, Moro marcou audiências com 125 testemunhas de defesa para o período entre 7 de maio e 29 de junho. Entre elas, estão dois ex-presidentes da República: Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em 28 de maio, e Dilma Rousseff (PT), em 25 de junho.

Finalizada essa etapa, Moro costuma deixar um intervalo de cerca de um mês até o início dos interrogatórios. Caso não haja pedidos das defesas por novas testemunhas ou outros contratempos, deverão ser realizados entre julho e agosto, de acordo com projeção feita pelo UOL.

No primeiro processo envolvendo Lula, o do tríplex --em que o petista já foi condenado e pelo qual cumpre pena na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba desde sábado (7)--, a última audiência com testemunhas de defesa foi em 15 de março. Já o primeiro réu foi ouvido em 20 de abril. Lula esteve na frente de Moro no dia 10 de maio do ano passado --a data original era 3 de maio, mas, em função da criação de um esquema de segurança ligado a protestos, ela foi adiada.




O intervalo entre as audiências com testemunhas e as com réus foi menor na segunda ação contra o petista, a que investiga um esquema de corrupção envolvendo um terreno para o Instituto Lula e o pagamento do aluguel do apartamento vizinho ao em que ele vivia antes de ser preso. Nessa, a última testemunha, por motivo de viagem, só pôde ser ouvida no final de agosto, no dia 30. Não fosse isso, a etapa de audiências com testemunhas de defesa teria se encerrado em 21 de julho. via UOL














Jornalista, articulista político. O que me interessa é a verdade. Sou de "Direita" conservador, amo o meu país.

Se você não divulgar, a Globo não divulga: Compartilhe em "grupos" e alcance mais pessoas:






Inscreva-se no canal "PÁTRIA AMADA BRASIL"

Seguir; Aliança pelo Brasil



"NÃO DEIXE A VOZ DA DIREITA SILENCIAR" O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com o JORNAL 21 BRASIL, uma Imprensa livre e sem dinheiro público, doando qualquer valor. Obrigado de coração a todos vocês, Acesse:





Uma página 100% de DIREITA. Você pode e tem voz.



"Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem"






ALIANÇA PELO BRASIL: "Este é um momento histórico, onde a maioria silenciosa finalmente terá voz". Ajude o presidente, curta a Página


Canal, Pátria amada Brasil

Inscreva-se:

Gilmar assustado com delação de hacker, "mensagens que Mendes defendem são falsas"

Pátria amada Brasil até morrer!
Grupo Público · 50.197 membros
Participar do grupo
Temos total liberdade de apoiarmos a direita encabeçada por Jair Bolsonaro e depois Sergio Moro. junte-se a nós.




As mais lidas do dia