Neste site tem: "Black Friday"







Ministros do supremo aumentam o próprio salário

Em: __Por: Rosinaldo Pereira

__ 8/08/2018




Ministros do supremo aumentam o próprio salário




Ministros do supremo aumentam o próprio salário



Os ministros do STF estão discutindo hoje, em sessão administrativa, se incluem reajuste de 16% em seus vencimentos na proposta orçamentária de 2019.
Já se formou maioria para aprovar a proposta. Votaram para inserir o aumento Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio Mello, Luís Roberto Barroso, Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Luiz Fux.

Cármen Lúcia, Celso de Mello e Rosa Weber votaram contra a previsão de reajuste na proposta orçamentária –ainda faltam Edson Fachin e Alexandre de Moraes.
Toffoli justificou seu voto dizendo que os projetos no Congresso tentam repor perdas de 2009 e 2014. “Não estamos [nem] sequer falando das perdas de 2015.”


O futuro presidente da corte alegou ainda que se está “cortando no STF”. “Não se está tirando de saúde, educação, estamos tirando dos nossos custeios.”
Teto do funcionalismo público, o salário de um ministro do Supremo está hoje em R$ 33,7 mil. Com o reajuste, poderá ir para R$ 39,3 mil.



Se você não divulgar, a Globo não divulga: Compartilhe em "grupos" e alcance mais pessoas:


Seguir; Aliança pelo Brasil

Seguir no twitter;




"NÃO DEIXE A VOZ DA DIREITA SILENCIAR" O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com o JORNAL 21 BRASIL, uma Imprensa livre e sem dinheiro público, doando qualquer valor. Acesse:




Uma página 100% de DIREITA. Você pode e tem voz.



"Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem"





ALIANÇA PELO BRASIL: "Este é um momento histórico, onde a maioria silenciosa finalmente terá voz". Ajude o presidente, curta a Página


Pátria amada Brasil até morrer!
Grupo Público · 50.197 membros
Participar do grupo
Temos total liberdade de apoiarmos a direita encabeçada por Jair Bolsonaro e depois Sergio Moro. junte-se a nós.

Destaque do dia..

PRISÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA PASSA NA CCJ DA CÂMARA

A CCJ da Câmara acaba de aprovar, por 50 votos a 12, relatório favorável à proposta que permite a prisão após condenação em segunda inst...

As mais lidas do dia