Com doação de 96 blindados americano, Maduro vê uma intervenção militar com ajuda do Brasil

Por; Rosinaldo Pereira /colunista

Com doação de 96 blindados americano, Maduro vê uma intervenção militar com ajuda do Brasil



As Forças Armadas receberam uma doação do exército dos Estados Unidos de 96 blindados usados. Eles serão modernizados e usados na defesa nacional. Segundo o Ministério da Defesa, eles "reforçam o poder de fogo e do combate terrestre do Exército". Essa não é a primeira vez que o Brasil recebe equipamentos do exército americano, que periodicamente faz doações a nações amigas ao renovar seu arsenal.

Ao todo são 56 obuseiros auto-propulsados  M109, versão A5, e 40 blindados "remuniciadores" M992, segundo o Exército. Os obuseiros não são tanques, mas sim um tipo de canhão de artilharia que consegue disparar projéteis balísticos a uma distância superior a 20 km. Eles se movimentam por meio de esteiras e não precisam ser rebocados por outros veículos.

Os "remuniciadores" são blindados que transportam as munições usadas pelos obuseiros no campo de batalha.


O M109 é um dos tipos mais usados de obuseiro pelos exércitos ocidentais. Eles estão sendo aos poucos substituídos por versões mais modernas pelas potências. As unidades A5 estão sendo doadas ao Exército em caráter de cooperação militar.
O Brasil também costuma doar equipamento militar usado para nações vizinhas que possuem menos recursos.



Os blindados desembarcaram nesta semana no porto de Paranaguá (PR).

O ditador Nícolas Maduro, já se pronuncio com a vitória do capitão da reserva Jair Messias Bolsonaro (PSL) ao planalto, pedindo para o presidente eleito voltar a ter relações com a Venezuela. Com a doação dos 96 blindados, o ditador pode ter levantado suspeita de uma possível invasão ao seu país. 


Logo que, Jair Bolsonaro foi eleito presidente do Brasil pelo voto democrático, Donald Trump entrou em contato com presidente eleito, segundo ele, foi um boa conversa. O presidente dos Estados Unidos, afirmou no dia (29) que vai trabalhar com o presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, nas áreas do comércio e das Forças Armadas.



Segundo a Folha, integrantes do governo da Colômbia sugeriram que “se o presidente Bolsonaro ajudar a derrubar [ditador venezuelano Nicolás] Maduro com uma intervenção militar, terá o apoio da Colômbia”. Como o sr General heleno recebe essa declaração? Respondeu! "Isso contraria os princípios das nossas relações exteriores. Nós temos como preceito fundamental a não ingerência – acho que está escrito inclusive na Constituição – a não ingerência em assuntos internos de outros países". 

E mais; Com Bolsonaro, Brasil pode entrar na OTAN

Continue lendo....