EUA ameaçam atacar russos se Moscou tornar míssil proibido operacional

Por; Rosinaldo Pereira /colunista


A ameaça foi feita pela embaixadora americana. Se o sistema ficar operacional, disse Kay Bailey Hutchinson, “os EUA então examinar a capacidade de anular um míssil que possa atingir algum de nossos países”.



Ela se referia a um novo míssil de cruzeiro desenvolvido pela Rússia, o 9M729. O governo americano afirma que a arma fere o Tratado de Forças Nucleares Intermediárias, um dos mais importantes para colocar o fim da Guerra Fria.

 A questão toda é que o texto proíbe versões terrestres. Os russos já testaram a nova arma lançada de navios e aviões, tecnicamente respeitando o tratado. Ele tem 2.000 km de alcance e, segundo reportagem do The New York Times no ano passado, já tem dois batalhões operacionais —que poderiam usar lançadores usado pelo míssil balístico Iskander, que é permitido, para enganar os europeus. 



Na última semana, aviões nucleares Russos TUPOLEV TU-160 e ANTONOV AN-124, que foram enviados a Venezuela, estavam levando um carregamento de mísseis Balísticos intercontinentais "SATAN 2" (os mais poderosos do mundo). 

 Apenas uma desta arma de guerra é capaz de destruir um território maior que toda a França. 



 -A Inteligência Americana descobriu que na verdade, este "pit-stop" no país bolivariano fazia parte de um plano maior, onde os Russos estariam entregando mísseis ao Irã. Esta manobra teria sido feita porque o Irã está sob embargo comercial com os USA.

Por isso, os Venezuelanos estariam entrando como intermediários, se fazendo de vítima pelas declarações do General Mourão, e pedindo um suposto apoio da Rússia e Irã. 


 A Rússia então mandou os aviões com as bombas e o Irã foi buscá-los com os navios, argumentando o disfarce de apoio militar à Venezuela


Deixe seu comentário

Continue lendo....