URGENTE! MATÉRIA EM DESTAQUE

Veto de Bolsonaro neutraliza o Centrão, Coaf permanece com Sergio Moro e corruptos agonizam

"No café da manhã com jornalistas, o presidente Jair Bolsonaro, considerou a retirada do Coaf das mãos de Sergio Moro, um placar d...

Faustão se ferra na Lei de Segurança Nacional por criticar gravemente Bolsonaro

(Sem Deus não há vida, sem família não há base para nada...)



Por; Rosinaldo Pereira





Dodge tem que enquadrar Faustão com base na Lei de Segurança Nacional


O Adélio Bispo de Oliveira esfaqueou Bolsonaro-candidato. Está preso e responde na forma da Lei de Segurança Nacional. Já o grosseirão do Faustão ofendeu Bolsonaro-presidente no seu chatíssimo, enfadonho e repetitivo programa na TV Globo. 



Numa de suas grosserias de sempre afirmou o apresentador "o imbecil que está lá e não deveria estar pode até ser honesto". Pelo gênero (o imbecil, masculino), pelo número (singular) e pelo contexto do discurso "falsa defesa do povo", é óbvio que o ofendido era mesmo o presidente da República Jair Messias Bolsonaro.



Não tem por onde escapar. Assim como Adélio, Fausto Silva também precisa ser criminalmente processado com base na Lei de Segurança Nacional.
O artigo 26 da lei (nº 7.170, de 14.12.1983) é taxativo.
“É crime caluniar ou difamar o Presidente da República com expressões ofensivas à sua reputação - Pena: Reclusão de 1 a 4 anos.”
E em se tratando de ação penal pública, que é aquela que não depende da iniciativa do ofendido e sim, exclusivamente, da ação do Ministério Público, conforme dispõe o artigo 30 parágrafo único da referida lei ("a ação penal é pública"), o que a Procuradora-Geral da República Raquel Dodge está esperando para ingressar na Justiça com a ação penal contra Fausto Silva e o diretor-geral do programa?


O tempo está passando e até agora a procuradora nada fez. O fato do programa ter sido gravado em Novembro de 2018 só agrava a situação do apresentador Fausto Silva e do diretor-geral do "Domingo do Faustão". 

Isto porque se o ofendido era o Temer (e tanto não justificaria a ofensa visto que em tais crimes a defesa não pode excepcionar a verdade e a condenação também seria certa de ocorrer), então que aquele trecho do "discurso de doutrinação política" do "sociólogo" Fausto Silva fosse cortado. Mas, não. Por quase dois meses a gravação ficou guardada na TV Globo justamente para ir ao ar quando Bolsonaro se tornou presidente.



Daí a ampliação e a agravante do parágrafo único do artigo 26 da Lei de Segurança Nacional que diz: "na mesma pena (1 a 4 anos de reclusão) incorre quem, conhecendo o caráter ilícito da imputação, a propala ou divulga". E esse "quem" que está na lei é a TV Globo. Considerando que pessoa jurídica não pode sofrer condenação criminal, mas somente pessoal natural (física), quem também entra pelo cano é o diretor-geral do programa, caso a PGR e a Justiça não entendam condenar mais diretores da emissora. Tudo vai depender da investigação para saber quem era o co-responsável ou co-responsáveis.



Todos são solidariamente obrigados a reparar os danos, no âmbito penal (reclusão de 1 a 4 anos) e cível (dano moral, no mínimo de 10 mil salários-mínimos, por se tratar do presidente da República e da divulgação nacional que a ofensa alcançou).




Conteúdo;  Jorge Béja Advogado no Rio de Janeiro e especialista em Responsabilidade Civil, Pública e Privada (UFRJ e Universidade de Paris, Sorbonne). Membro Efetivo do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) jornaldacidadeonline


Seguir no twitter;

-Deixe sua opinião, você é importante! -A esquerda quer nos calar! não deixe que isso aconteça, curta nossa página...


Deixe seu comentário aqui!


  • APÓS COMENTAR, VOLTE PARA CAPA
  • Continue lendo....