"Destaque do dia"


Bolsonaro reeleito, não tem adversário

Uma pesquisa encomendada pela Veja mostra que, se a disputa fosse hoje (e com Lula ficha suja), Jair Bolsonaro teria 33% dos votos. A ...




Canalha! Rodrigo Maia quer a "cabeça de Moro", por reforma da Previdência

Em: __Por: Rosinaldo Pereira
__ 3/24/2019




Canalha! Rodrigo Maia quer a "cabeça de Moro", por reforma da Previdência






Rodrigo Maia está querendo duas cabeças. As de Onix Lorenzoni, da Casa Civil, e de Sérgio Moro, da Justiça. É uma espécie de chantagem emocional para fazer as pazes com o Palácio do Planalto e tocar a reforma da Previdência Social. 



O primeiro é um velho desafeto dentro do próprio partido, o Democratas. O segundo, porque, no entendimento da Salomé do Parlamento, confunde hierarquia. Jair Bolsonaro, porém, não estaria propenso a ceder. O presidente, garantem seus assessores, não é do tipo que encarna Pôncio Pilatos. E na hora de separar o joio do trigo, vai preferir ficar com o ex-juiz da Lava Jato, que não tem penduricalhos na Justiça.










Se você não divulgar, a Globo não divulga: Compartilhe em "grupos" e alcance mais pessoas:






Inscreva-se no canal "PÁTRIA AMADA BRASIL"

Seguir; Aliança pelo Brasil

Seguir no twitter;




"NÃO DEIXE A VOZ DA DIREITA SILENCIAR" O jornalismo em que você confia depende de você. Colabore com o JORNAL 21 BRASIL, uma Imprensa livre e sem dinheiro público, doando qualquer valor. Obrigado de coração a todos vocês, Acesse:





Uma página 100% de DIREITA. Você pode e tem voz.



"Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem"





ALIANÇA PELO BRASIL: "Este é um momento histórico, onde a maioria silenciosa finalmente terá voz". Ajude o presidente, curta a Página


Canal, Pátria amada Brasil

Inscreva-se:

Gilmar assustado com delação de hacker, "mensagens que Mendes defendem são falsas"

Pátria amada Brasil até morrer!
Grupo Público · 50.197 membros
Participar do grupo
Temos total liberdade de apoiarmos a direita encabeçada por Jair Bolsonaro e depois Sergio Moro. junte-se a nós.




As mais lidas do dia