Publicidade
Carla Zambelli esculacha a hipocrisia de Maia





Aconteceu na manhã desta segunda uma sessão solene pelo Dia Internacional de Combate à Corrupção, no plenário da Câmara. A autora da homenagem foi a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), quem presidiu a sessão. O principal homenageado foi o ministro e ex-juiz Sergio Moro, que sentou-se a seu lado.

Como é praxe em sessões solenes, é lido sempre um texto do presidente da Câmara. Não foi diferente. Zambelli leu um discurso de Rodrigo Maia, ausente no ato. Ele concedia uma entrevista no Rio no mesmo momento.




O discurso de Maia lido pela parlamentar tratou da importância de se enfrentar a corrupção e afirmou que a Câmara tem feito a sua parte, como a criação do grupo de trabalho, cujo trabalho culminou com texto aprovado semana passada. Esse grupo impingiu derrotas a Moro, como a rejeição da prisão em segunda instância, o excludente de ilicitude e o “plea bargain” (acusado que assumir culpa pode pegar pena menor).

No texto de Maia, lido de forma acelerada por Zambelli, é citado o pacote anticrime aprovado pela Câmara, mas o nome de Moro não aparece uma vez. Nem do ministro Alexandre de Moraes, do STF, também autor de algumas medidas.

O presidente da Câmara fala que corrupção é prioridade, que seu impacto é devastador para a sociedade e que se trata de uma das principais preocupações da sociedade.

“A corrupção corrói o Estado, danifica a democracia e prejudica a prestação do serviço público na vida das pessoas”, diz trecho do texto de Maia.




“Estamos na busca de respostas. Foi criado em março um grupo de trabalho para debater mudanças promovidas pelo pacote anticrime, analisado com profundidade por essa Casa, e que acabamos de aprová-lo. Quero cumprimentar a todo o grupo de trabalho. Significou mais um avanço no combate a criminalidade e a corrupção”, completou Maia.

No final da cerimônia, porém, Zambelli atacou o texto que leu de Maia, sem citar seu nome. Esse foi o único discurso lido por ela durante a 1 hora e 50 minutos que durou a sessão.
A deputada disse ter visto “muita hipocrisia” no texto do presidente da Câmara.

“A energia tava diferente aqui hoje. O ambiente aqui é muito pesado, mas hoje estava especialmente leve. Tive que ler um discurso aqui hoje em que eu vi muita hipocrisia. E mesmo assim eu tive que ler porque estou aqui para fazer isso. Mas também eu tenho imunidade parlamentar para dizer o quanto eu sinto muitas vezes a hipocrisia nessa Casa”, disse Zambelli, aplaudida pelos convidados, todos ligados a movimentos conservadores e de direita e que apoiam o governo Jair Bolsonaro.

Anúncio



AGORA DEPENDEMOS DE VOCÊ PARA CONTINUARMOS NO AR


O jornalismo em que você confia, conservador, depende de você. Colabore com a independência do JORNAL 21 BRASIL doando qualquer valor; "Doar é uma pratica que requer desapego.

Quero doar 10:


Quero doar 20:


Quero doar 30:

DEIXE SUA OPINIÃO:

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem

Naõ confie no Facebook. Compartilhe e alcance mais pessoas;



Anúncio
Postagem Anterior Próxima Postagem

Anúncio

Seja o primeiro a saber, click e participe do grupo, receba a próxima notícia no seu celular;




Anúncio Anúncio
--------------------------------------