Anúncio
100% digtal
Publicidade

Anúncio

DESTAQUE DA SEMANA

DORIA NÃO FALOU PARA O POVO QUE FALTA INSUMOS NA CHINA; COMEÇOU O ALVOROÇO, PALANQUE ELEITORAL

  Está faltando a verdade...  A Covishield, versão indiana do imunizante da AstraZeneca, não chegou e o lote do Butantan é limitado. Faltam ...

Talvez você tenha perdido

Continuar depois da publicidade

BOMBA! Um pedido de Lula a um amigo para esquecer o assunto, "A morte de Celso Daniel" por Crusoé



A reportagem de capa da nova edição da Crusoé revela uma outra história sobre o crime que assombra o PT há quase duas décadas, a morte de Celso Daniel.

“Uma fita com pistas sobre o assassinato. Um pedido de Lula a um amigo para esquecer o assunto. Uma invasão de bandidos em busca de provas contra petistas.”


Leia aqui por Crusoé: 



O mistério da fita

"Uma fita com pistas sobre o assassinato de Celso Daniel. Um pedido de Lula a um amigo para esquecer o assunto. Uma invasão de bandidos em busca de provas contra petistas. Crusoé revela outra história sobre o crime que assombra o PT há quase duas décadasPassava das cinco horas da tarde quando dois homens, um deles de boina e bengala, desceram de um Spacefox preto em frente a uma loja de roupas de grife em um bairro residencial de Ponta Grossa, no interior do Paraná. Era quinta-feira, 26 de abril de 2018, e a rua estava calma, como de costume. Armada, a dupla rendeu duas pessoas logo na entrada e anunciou o assalto. 



Outros dois comparsas chegaram em seguida para invadir a casa que fica nos fundos do mesmo imóvel, fazendo 11 reféns, entre eles uma idosa e uma criança. Mas em vez de dinheiro e objetos de valor, os bandidos queriam "os documentos do PT". As vítimas foram amarradas, amordaçadas e agredidas, enquanto parte da quadrilha quebrava as paredes atrás de um cofre onde o material poderia estar escondido. Após mais de uma hora de terror e destruição, o bando não achou nada e fugiu levando apenas carteiras, celulares, bijuterias e algumas peças da loja. Apesar da explícita conotação política, a Polícia Civil do estado concluiu, poucos meses depois, que o caso foi um típico crime comum, contra o patrimônio, sem indiciar ou prender ninguém".

Completo; https://crusoe.com.br/edicoes/88/o-misterio-da-fita/