Anúncio


Publicidade
Anúncio

Talvez você tenha perdido

Anúncio
Continuar depois da publicidade


Desespero da grande mídia e seus ataques, "Bolsonaro pode se fortalecer ainda mais"


"Esta matéria pode sair do AR"


A mídia esquerdista que antes ditava quem deveria ser eleito, se desespera com Bolsonaro

As munições de sites, blogs, e até de televisão para atacar Jair Bolsonaro estão com os dias contados.

Pessoas ligadas ao presidente Jair Bolsonaro, afirmam que a mídia tradicional ficou assustada com o pronunciamento do presidente nesta terça feira (31), em cadeia nacional de Rádio TV. 

Veja o que diz Wilson Oliveira por O Congressista;
"No início, boa parte da mídia brasileira achou a melhor coisa do mundo as atitudes de João Doria, governador de São Paulo, e Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, de parar tudo. A mídia que atua junto a outros setores para destruir Jair Bolsonaro viu nessa ocasião uma oportunidade de destruir a economia brasileira, o que poderia tornar seu objetivo de derrubar o presidente algo mais real. Só que Bolsonaro continua intacto na sua cadeira e, o pior para a mídia, é que ele pode se fortalecer. Pode não, está se fortalecendo. E isso está deixando a mídia mais apavorada do que nunca - disse a fonte.
Essa fonte ligada ao Governo Bolsonaro fez questão de frisar que alguns órgãos da imprensa brasileira não estão embarcando na "fabricação da histeria coletiva". A fonte citou quais seriam esses órgãos e falou nomes de alguns jornalistas que estão indo na direção contrária da maioria da mídia brasileira e colaborando para evitar o clima de pânico.
- Faço aqui um ato de justiça. Tenho acompanhado os comentários do Augusto Nunes, do Silvio Navarro, do José Maria Trindade e do Rodrigo Constantino na Jovem Pan, a cobertura da CNN Brasil e as reportagens do jornal Gazeta do Povo, e devo dizer que esses órgãos, esses jornalistas, estão junto nessa luta para evitar esse clima absurdo de pânico, de histeria coletiva, que está sendo fabricado pela maioria da mídia brasileira, que é cheia de interesses ocultos que fogem à luz da razão - disparou a fonte.
Inclusive, foi da CNN Brasil que surgiu um dos comentários mais sensatos a respeito da situação econômica do Brasil face a esse surto de coronavírus. Tomé Abduch, porta-voz do movimento Nas Ruas, que tem feito participações no programa O Grande Debate, deu total razão ao presidente Jair Bolsonaro na preocupação pela renda dos trabalhadores informais".

Diante disso, temos a total convicção que a Globo, Veja, UOL, Folha de S. Paulo, Estadão, Band, e outros meios de comunicação, agonizam por falta de recursos que em outros tempos a farra com o dinheiro público era sem limites. -A mamata acabou! o povo acordou! 

Em tempos de internete, quem dita as regras do jogo é o povo.

O QUE HÁ DE NOVO