Publicidade
Governador comunista gasta R$ 1,2 milhão em assinaturas de revista sem licitação e continuou a gastar na pandemia








O governo do Maranhão desembolsou mais de R$ 1,2 milhão com a revista Carta Capital. Em dois contratos realizados sem licitação, a Secretaria de Educação do Estado comandado pelo governador Flávio Dino (PCdoB) determinou a assinatura de 1.472 exemplares do veículo de comunicação impresso.

O primeiro contrato do governo maranhense com a Carta Capital é datado de 30 de abril do ano passado, conforme publicação do Diário Oficial estadual. O valor gasto pelo Executivo na ocasião foi de R$ 600,5 mil, o equivalente a R$ 408 por assinatura.

Apesar de o país enfrentar a pandemia do vírus chinês, o governador comunista Dino voltou a gastar dinheiro público com exemplares da Carta Capital. Dessa forma, celebrou novo contrato com a revista em agosto. Contudo, o valor total da compra subiu para R$ 671,9 mil (valor unitário de R$ 456,45): alta superior a 10% em relação ao acordo de abril de 2019.

O governador comunista não detalha as razões para as assinaturas. Apenas afirma que os exemplares seriam entregues à rede pública de ensino.

A apuração dos contratos entre o governo do Maranhão e a Carta Capital foi feita pelos jornalistas Vinícius Silva e Clayton Ubinha, da rádio Jovem Pan, a partir de texto divulgado no site editado por Luís Cardoso.

AGORA DEPENDEMOS DE VOCÊ PARA CONTINUARMOS NO AR


O jornalismo em que você confia, conservador, depende de você. Colabore com a independência do DENÚNCIA POLÍTICA doando qualquer valor; "Doar é uma pratica que requer desapego.

Quero doar 10:


Quero doar 20:


Quero doar 30:

DEIXE SUA OPINIÃO:

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem

Postagem Anterior Próxima Postagem

Anúncio

Anúncio

----

Anúncio




Anúncio