Jesus




Justiça aceita mais três denúncias, e Cabral se torna réu pela vigésima vez na Lava-Jato


Por; Rosinaldo Pereira /colunista

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Justiça aceita mais três denúncias, e Cabral se torna réu pela vigésima vez na Lava-Jato   


O ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB) virou réu em mais três processos derivados da Operação Calicute, versão da Lava-Jato no estado, nesta quarta-feira. As denúncias haviam sido oferecidas pelo Ministério Público Federal (MPF) em dezembro e foram aceitas nesta quarta-feira pela juíza Caroline Vieira Figueiredo, substituta da 7ª Vara Federal Criminal.
INFOGRÁFICO: Linha do tempo das denúncias contra Sérgio Cabral
Também se tornaram réus os ex-secretários Hudson Braga (Obras), Régis Fichtner (Casa Civil), Wilson Carlos (Governo), os operadores Luiz Carlos Bezerra e Wagner Jordão, o empresário Georges Sadala e os dirigentes da empreiteira Oriente Alex Sardinha e Geraldo André de Miranda Santos.


No caso que envolve a Oriente, Cabral e Braga são acusados pelo MPF de terem solicitado propina entre 2010 e 2014 em troca de vantagens em obras. Com a quebra do sigilo dos e-emails de Jordão, apontado como operador do então secretário de Obras, os procuradores encontraram uma mensagem enviada por Sardinha com referência a pagamentos de "O2" (a propina era chamada de "taxa de oxigênio") e com o assunto "cálculos", fazendo relação com consórcios integrados pela Oriente.




Além disso, o MPF encontrou com Sardinha planilhas com valores das obras. A Construtora Oriente foi responsável por obras emergenciais em Araruama, Saquarema e Maricá e aplicação de asfalto da Baixada Litorânea. Segundo o MPF, obras nas quais teriam sido pagas propinas.




As outras duas ações são referentes à Operação C'est Fini, que envolveu o ex-secretário Régis Fichtner e o empresário Georges Sadala. De acordo com as investigações, Sadala realizou ao menos sete vezes pagamentos de propina em espécie ao esquema comandado pelo ex-governador. Os repasses realizados entre 2009 a 2015 somaram R$ 1,33 milhão, sustenta a denúncia. Já Fichtner é acusado pelo MPF de aceitar propina para “especial atenção para os interesses privados de empresários do setor da saúde, prestação de serviços de alimentação e limpeza, transporte público e construção civil”.









Black Friday vem aí... a Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

As mais lidas da semana

VOCÊ VIU?

 
JORNAL 21 BRASIL.
jornal do brasil, jornal 21, notícias de Bolsonaro, política do brasil, Jornalismo livre, a tragetoria de Sergio Moro, notícias do brasil, notícias de Sergio Moro, notícias de lula, lula preso, lula na cadeia, operação lava-jato
  • ""JORNALISMO LIVRE""



  • ""O SEU JORNAL DIGITAL 24 HORAS POR DIA, 7 DIAS POR SEMANA. ""