Centrão quer mudar o texto original da reforma da previdência para prejudicar o governo.





Centrão quer mudar o texto original da reforma da previdência para prejudicar o governo.

Em: __Por: Rosinaldo Pereira

__ 5/19/2019





Por; Lenilson Soares /colunista

O líder do Governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL), disse neste domingo (19) que não haverá um novo texto da reforma da Previdência elaborada pelos parlamentares e que a proposta do Executivo será mantida.

A declaração foi feito após o deputado conversar com o relator da reforma da Previdência na Comissão Especial, Samuel Moreira (PSDB-MG). No sábado (18), Vitor Hugo havia dito que poderia apoiar um ‘texto alternativo’, elaborado pelos parlamentares, se fosse semelhante ao que foi apresentado pelo Executivo.

“Eu conversei com o relator (da Previdência) e ele explicou que não haverá uma nova proposta. Um texto como este é complexo e é natural que se apresente um substitutivo já que qualquer pequena modificação pode obrigar a adaptação de toda proposta. Vamos dialogar para que se mantenha o texto encaminhado pelo governo, a sua essência”, afirmou Vitor Hugo.

Na sexta-feira (17), foi veiculado que os deputados poderiam propor um novo texto da reforma da Previdência, abandonando a proposta enviada por Bolsonaro após desgastes entre o Planalto e a Câmara, para adiantar os trabalhos de aprovação da PEC.

Ainda hoje, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, deve recebe na residência oficial o relator da reforma da Previdência Samuel Moreira, e o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, para discutir ajustes no texto que vai alterar as regras da aposentadoria no país. Na segunda-feira (20), Maia deve se reunir com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para tratar sobre o andamento da reforma e os próximos passos a serem adotados.

Opinião: a reforma é necessária, para que retome o crescimento com o livre mercado, e possamos ser uma nação próspera.

As informações são da Veja e O Antagonista.



Compartilhe em "grupos" e alcance mais pessoas:

Seguir no twitter;


"Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem"



Barroso desmonta falácia que culpa prisão em segunda instância por superpopulação carcerária (veja o vídeo)

Em seu voto a favor da manutenção do entendimento que permite a prisão após condenação em segunda instância, o ministro do STF, Luís Roberto Barroso, fez questão de desmontar uma das falácias mais patéticas utilizadas pelo ex-advogado de Dilma Rousseff, José Eduardo Cardoso em desfavor de tal entendimento.
Para o petista, a prisão em segunda instância seria uma das responsáveis pela superpopulação carcerária. A afirmação é mentirosa, e Barroso a esmigalhou com números concretos do sistema penitenciário em seu voto.

Confira:



"A CORRUPÇÃO MATA NA FILA DO HOSPITAL"




Eis o que Dias Toffoli pensava sobre prisão em segunda instância (antes de Lula ser preso)

>

A esquerda já tentou nos calar, seja nossa vós, curta nossa página e receba diáriamente notícias do governo Bolsonaro. -Somos de #DIREITA

Pátria amada Brasil até morrer!
Grupo Público · 50.197 membros
Participar do grupo
Temos total liberdade de apoiarmos a direita encabeçada por Jair Bolsonaro e depois Sergio Moro. junte-se a nós.

Destaque do dia..

Augusto Aras praticamente pede para STF derrubar prisão em segunda instância

Augusto Aras parou com seus rodeios e foi mais claro: ele não concorda com a obrigatoriedade da prisão de condenados em segunda instânci...


As mais lidas do dia..