.

Uma das pontas do inquérito das Fake News, aberto por Dias Toffoli, foi arquivada em Pouso Alegre, Minas Gerais.




Alexandre de Moraes mandou investigar um cidadão da região que havia criticado um ministro do Supremo nas redes sociais.

O procurador Lucas Gualtieri, que pediu o arquivamento do caso, disse para o UOL:

“Não havia ofensa aos ministros mas sim uma manifestação mais contundente. Não houve crime previsto na Lei de Segurança Nacional.”

Ele disse também:

“Uma das atribuições do Ministério Público é garantir que os direitos e garantias do cidadão sejam preservados. Há de fato uma situação de risco para as liberdades individuais.”

Post a Comment

todos os comentários é de inteira responsabilidade do leitor

Postagem Anterior Próxima Postagem