Anúncio
100% digtal
Publicidade

Anúncio

DESTAQUE DA SEMANA

DORIA NÃO FALOU PARA O POVO QUE FALTA INSUMOS NA CHINA; COMEÇOU O ALVOROÇO, PALANQUE ELEITORAL

  Está faltando a verdade...  A Covishield, versão indiana do imunizante da AstraZeneca, não chegou e o lote do Butantan é limitado. Faltam ...

Talvez você tenha perdido

Continuar depois da publicidade

Conselho que nada: Moro quer que o deputado Glauber Braga (PSOL) prove na justiça quem o ministro Roubou



Quem não lembra do depoimento do ministro da Justiça, Sergio Moro, à Câmara dos Deputados?

Pois é! Apancada do bombo mudou.

Pouco acrescentou às investigações que avaliam a parcialidade do então juiz, exposta pelas conversas com procuradores da Operação Lava Jato em mensagens roubadas e descobertas pela PF, que foram inventadas pelos criminosos que já estão presos em questão de dias delataram quem pagou pelo serviço criminoso.

Essas mensagens, trocadas pelo aplicativo Telegram, estão sendo publicadas pelo site The Intercept Brasil. As ilegalidades de conduta – juiz combinar tática de ação com acusadores – levaram o deputado a Glauber Braga (Psol-RJ) a usar o termo “juiz ladrão”. A linguagem usada para classificar árbitro de futebol que interfere no resultado de uma partida, fez com que Sergio Moro abandonasse a sessão.




Moro agradeceu às homenagens e elogios recebidos dos parlamentares da base do governo Jair Bolsonaro – inclusive um troféu do deputado Boca Aberta (Pros-PR), classificado como a “Champions League do Combate à Corrupção”. Mas não respondeu às perguntas feitas pelos deputados da oposição.

O Conselho de Ética da Câmara arquivou hoje a representação do PSL pela cassação do mandato do deputado Glauber Braga (PSOL-RJ). Na opinião do psolista, o Conselho de Ética fez o que tinha que fazer. "O processo foi arquivado com base na imunidade parlamentar, que é uma garantia democrática só para parlamentares.




Segundo nossas fontes, o ministro da Justiça não se deu por satisfeito com o Conselho de Ética, e quer que o deputado prove na justiça as caluniosas denúncias que fez contra ele. 

Sergio Moro não permitirá que ninguém suje seu nome, o ministro quer chegar ainda neste ano (2020) ao Supremo Tribunal Federal. 

Tá certo! tem que provar mesmo.