Anúncio


Publicidade
Anúncio

Talvez você tenha perdido

Anúncio
Continuar depois da publicidade


Barroso baixa o tom; Se Bolsonaro ou qualquer pessoa apresentar 'comprovação de fraude', TSE vai apurar

 



O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, afirmou neste domingo (29) que, se o presidente Jair Bolsonaro ou qualquer pessoa tiver “comprovação de fraude” nas eleições, a Corte vai apurar.


Barroso deu a declaração durante coletiva de imprensa, após a realização do segundo turno das eleições municipais deste ano. Ele foi questionado sobre declarações de Bolsonaro sobre a segurança do sistema eleitoral.


“Se o presidente, ou qualquer pessoa, tiver comprovação de fraude, em algum momento, desde 1996 até hoje, eu imediatamente diligenciarei no sentido de apurar. Mas eu sou juiz, eu lido com fatos e provas. Portanto, não posso me impressionar com a retórica política que faz parte de um jogo que não me cabe jogar”, afirmou Barroso.


Neste domingo, depois de votar no Rio de Janeiro, o presidente Jair Bolsonaro afirmou:


“Que nós possamos ter em 2022 um sistema seguro que possa dar garantias ao eleitor que em quem ele votou, o voto foi efetivamente para aquela pessoa. A questão do voto impresso é uma necessidade, está na boca do povo. Desde há muito, eu luto no tocante a isso. E as reclamações são demais. Não adianta alguém querer bater no peito e falar que é seguro, não tem como comprovar. Estamos vendo o trabalho de hacker em tudo quanto é lugar aqui, até fora do Brasil”.


 

Barroso afirmou que não há possibilidade de fraude ao sistema eleitoral. Disse que há quem ache que a terra é plana e emendou:


“Não tenho como controlar o imaginário. Tem gente que acha que o homem não chegou à Lua e que o Trump venceu as eleições”.



O QUE HÁ DE NOVO