Vídeo -Ex-deputado confirma em investigações que Bolsonaro nunca recebeu dinheiro de corrupção - JORNAL 21 BRASIL
Anúncio


Publicidade
Anúncio

Talvez você tenha perdido

Anúncio
Continuar depois da publicidade

DESTAQUE DA SEMANA

GOVERNO IDIANO DÁ RASTEIRA EM DORIA LIBERA 2 MILHÕES DA VACINA QUE TEM 70% DE EFICÁCIA PARA O BRASIL

 "Vacina de Oxford/AstraZeneca tem eficácia de 70% já na 1ª dose, apontam testes no Brasil" Quem tem pressa come cru, né João Dori...

Vídeo -Ex-deputado confirma em investigações que Bolsonaro nunca recebeu dinheiro de corrupção

 



O presidente Jair Bolsonaro utilizou as redes sociais para divulgar áudio em que o deputado federal, condenado na Operação Lava Jato, Pedro Corrêa (PP), falou sobre corrupção e citou ação do chefe do executivo em relação ao partido dele.

Questionado se, no Governo Bolsonaro, tem corrupção, Corrêa foi categórico:

“Bom, se tem, eu não sei. Eu sei é que Jair Bolsonaro nunca recebeu um tostão de mensalão e de lava jato. Eu fui presidente do partido dele por 8 anos. Trabalhava junto de mim toda semana: terça, quarta e quinta. Uma vez por semana, estávamos juntos.”

Interpelado se, do valor de R$ 400 milhões que ele tinha arrecadado, Jair Bolsonaro havia recebido alguma parte, ele respondeu:

“Eu não digo que eu arrecadei R$ 400 milhões. Foram todos os partidos juntos: PT, PP, MDB... Não, ele (Bolsonaro) não recebia. A única coisa que ele recebia era uma cota de selo (de correspondências) que o partido dava do Fundo Partidário. O deputado tinha uma cota de 10 mil selos por mês. Era a cota postal e ainda, hoje, tem. Não sei quanto é. Mas, na época, correspondia a R$ 20 mil e Bolsonaro queria mandar 500 mil cartas... Então, não tinha jeito porque isso dava R$ 100 mil. Onde ia arranjar? Mas, aí, eu arranjava pra ele mais 30, 40, 50 mil selos pelo Fundo Partidário, no direito que os deputados tinham. Ele não queria um tostão, pra nada. Eu cheguei a oferecer pra ele e ele dizia: Pedro, não quero. Não preciso. Dá pra outra pessoa que tá precisando. Eu não preciso, não”, frisou. O ex-deputado ainda acrescentou que Bolsonaro já tinha eleitor fiel, os chamados “voto de opinião”.
“É aquele voto da direita, conservador. A campanha dele é uma campanha barata. Só gastava com selo pra mandar as cartas e um “santinho”. Só fazia isso”

E finalizou dizendo que a oposição nunca vai conseguir pegar o presidente “com a mão na botija”.

“Acredito que não. Pelo menos com relação ao partido, ele nunca recebeu nada. Eu posso dizer que, durante o período em que estive na presidência e no período em que administrei os recursos para o partido, ele nunca recebeu nada”.

Confira: