destaque!

Acorda Brasil! "NIÓBIO" o Mundo inteiro de olho no metal que só o Brasil fornece ao mundo está no Amazonas

"Nióbio, o metal que só o Brasil fornece ao mundo está no Amazonas" A reserva mineral de nióbio localizada na região denomi...





 urgente; Sacerdote cristão testemunha que jihadista não conseguiu decapitá-lo  "aleluia"

urgente; Sacerdote cristão testemunha que jihadista não conseguiu decapitá-lo "aleluia"


“Uma família, formada pelo pai, a mãe e uma menininha de dois anos, pediu para viajar conosco. O taxista me falou do pedido e eu não vi nenhum inconveniente. Eram muçulmanos. O motorista era cristão. Ele disse que havia lugar no carro e que eles podiam ir conosco. Paramos num posto de combustível e outro homem jovem, muçulmano, também pediu para ir junto até Mossul. Como ainda restava um assento, ele também foi aceito”, relembrou Abuna.
De acordo com informações do portal Religión en Libertad, a fronteira entre a Jordânia e o Iraque só abre quando amanhece, e por isso, os viajantes tiveram que aguardar por horas. “Quando o sol se levantou, uma fila de cinquenta ou sessenta carros foi avançando lentamente, todos juntos”, narrou.
“Seguimos a viagem. Depois de mais de uma hora, chegamos a um lugar onde estavam fazendo uma inspeção. Preparamos os passaportes. O motorista nos disse: ‘Tenho medo desse grupo’. Antes era um posto militar, mas uma organização terrorista islâmica havia matado os militares e tomado o controle do local”, disse o padre.
Ao ser identificado como um sacerdote cristão, Abuna Nirwan foi obrigado a prestar esclarecimentos: “Levaram os passaportes a um escritório. A pessoa voltou, se dirigiu a mim e disse: ‘Padre, vamos continuar a investigação. Podem ir até o escritório mais à frente. Depois já é o deserto’. Caminhamos uns quinze minutos até chegar à cabana a que eles se referiam”.
A tensão começou a subir assim que o grupo de viajantes chegou ao “escritório”, pois foram recebidos por soldados do grupo terrorista. O mesmo grupo, anos depois, viria a se juntar a outras milícias extremistas sob a bandeira do Estado Islâmico.
“Quando chegamos à cabana, saíram dois homens de rosto coberto. Um deles tinha uma câmera em uma mão e um facão na outra. O outro era barbudo e estava segurando o Corão. [Um deles] se dirigiu ao rapaz que vinha conosco, o agarrou por trás com os braços e o matou com o facão”, descreveu.
Depois do jovem muçulmano, era chegada a hora do sacerdote cristão: “Amarraram as minhas mãos por trás das costas e disseram: ‘Estamos gravando isto para a Al-Jazeera. Quer dizer algumas palavras? Tem menos de um minuto’. Eu respondi: ‘Não, só quero orar’. Eles me deram um minuto”.
O padre fez sua prece rapidamente, aterrorizado, e logo em seguida foi posto de joelhos: “[O carrasco] me disse: ‘Você é clérigo. É proibido que o seu sangue caia no chão porque é sacrilégio'”, relembrou, acrescentando que o extremista saiu para buscar um balde. “Não sei o que orei naquele momento. Senti muito medo”, disse.
Um trecho da oração o padre diz se lembrar, e foi um pedido para livrá-lo da morte certa: “‘Se é preciso que nosso Senhor me leve ainda jovem, estou pronto. Mas, se não é, eu peço que ninguém mais morra’. Ele pegou a minha cabeça, segurou meu ombro com força e levantou o facão”, contou.
“Uns instantes de silêncio e de repente ele perguntou: ‘Quem é você?’. Respondi: ‘Um frade [franciscano]’. ‘E por que eu não consigo mexer o facão? Quem é você?’. E, sem me deixar responder, prosseguiu: ‘Padre, você e todos voltem para o carro’. Fomos de volta até o veículo”, testemunhou Abuna Nirwan.
Essa experiência, segundo o padre, mudou sua vida: “Daquele momento em diante, eu perdi o medo da morte. Sei que um dia morrerei, mas agora é mais claro que vai ser só quando Deus quiser. Desde aquele momento, eu não tenho medo de nada nem de ninguém”, salientou.
“O que vier a me acontecer é porque é vontade de Deus e Ele vai me dar a força para acolher a Sua cruz. O importante é ter fé. Deus cuida dos que acreditam n’Ele”, concluiu
fonte; https://noticias.gospelmais.com.br



vamos orar por ele! Egito: Advogado de jovem cristão vai apelar na justiça

vamos orar por ele! Egito: Advogado de jovem cristão vai apelar na justiça


Nem mesmo em caso de assassinato a sentença seria tão longa; está claro que a decisão do juiz foi baseada na fé e não na lei”
Recentemente, informamos que Fadi*, um jovem cristão que foi sentenciado a 15 anos de prisão, foi injustamente acusado por seus vizinhos muçulmanos de ter agredido um menino de 8 anos. Mesmo sem provas ou evidências, o juiz o considerou culpado. Tanto a família quanto o próprio advogado ficaram surpresos com a decisão da justiça. O advogado ainda reforçou na ocasião que o menino não havia cometido crime algum.
A família teve que deixar a casa onde viviam e ainda não foram autorizados a voltar. Hanaa*, a mãe de Fadi, explicou que os vizinhos não gostavam deles por vários motivos, entre os principais está o fato de serem cristãos. “O pai da suposta vítima se mostrava sempre muito zangado porque nosso comércio estava indo muito bem. O fato de sermos bem sucedidos na vida financeira sempre o incomodou. Ele deixou claro que queria a gente longe porque odiava cristãos. Toda essa família pertence à Irmandade Muçulmana”, conta ela.
O advogado de Fadi não entendeu o motivo de um veredito tão severo. “Nem mesmo em caso de assassinato a sentença seria tão longa. Fadi é só uma criança, ele tem 15 anos e não cometeu crime algum. Está claro que a decisão do juiz foi baseada na fé e não na lei. Ele apenas deu ouvidos à criança muçulmana. Até mesmo sua decisão de afastar a família da própria casa é um erro grave judicialmente falando. O artigo 63 da Constituição Egípcia proíbe o deslocamento forçado de cidadãos”, explicou Naguib*. Agora o advogado e a família de Fadi estão apelando contra o veredito e o recurso terá início no dia 7 de março.
*Nomes alterados por motivos de segurança.
Pedidos de oração
Ore por Fadi e por toda a família dele nesse momento difícil que estão enfrentando. Peça ao Senhor que mude a opinião do juiz para que a justiça seja feita.
Interceda pelo advogado de defesa, que ele seja sábio e estratégico ao apelar à justiça egípcia.
Ore também pela família muçulmana que está acusando falsamente um garoto de 15 anos de idade, por motivos pessoais e religiosos. Que o amor de Cristo possa impactar seus corações e que se arrependam dessa má ação.
200 famílias cristãs deixam Egito por medo do estado islâmico

200 famílias cristãs deixam Egito por medo do estado islâmico



Cerca de 200 famílias cristãs deixaram a cidade de Alarixe, no Egito, nas últimas duas semanas após o Estado Islâmico (EI, ex-Ísis) promover uma onda de assassinatos de membros do grupo étnico-religioso dos copta.  

De acordo com fontes ouvidas pela ANSA, nesta sexta-feira (24) foi confirmada a morte do sexto cristão egípcio, em menos de um mês, por supostos jihadistas.  

A vítima é um encanador que foi morto na frente de sua família durante uma troca de tiros em Alarixe. Nos últimos dias, o EI publicou um vídeo no qual ameaçou matar todos os coptas do país e afirmou que o grupo era a "presa favorita" dos jihadistas.  

Além disso, os terroristas alegaram que o atentado a uma igreja no Cairo, que resultou na morte de 27 pessoas, foi "apenas o começo" da perseguição contra esses "infiéis". Os coptas representam cerca de 10% da população do Egito e é a maior comunidade cristã do Oriente Médio. (ANSA)
Fonte: ANSA
visite agora; RADIO GOSPEL VIVA VIDA
Reformas no Vaticano levam conservadores católicos a protestar contra o papa Francisco

Reformas no Vaticano levam conservadores católicos a protestar contra o papa Francisco

A postura do Papa Francisco diante de temas considerados conservadores para a Igreja Católica não tem agradado alguns membros da igreja romana, incluindo autoridades eclesiásticas. Segundo informações do jornal Folha de São Paulo publicadas na última terça feira (21), Jorge Mario Bergoglio tem enfrentado protestos após algumas reformas feitas no Vaticano.
No começo do mês, diversos cartazes foram publicados nas ruas de Roma, na Itália, sendo rapidamente “abafados” pelas autoridades locais. Sem identificação, sabe-se que o grupo responsável pela publicação, entre outros assuntos, protesta contra o que seria a “decapitação dos cavaleiros de Malta”, após a renúncia do seu presidente uma semana antes do Papa anunciar um substituto para o cargo. Se trata de uma antiga ordem conservadora de cavaleiros que atualmente se dedica a caridade.
“Francisco, você destituiu os chefes das congregações, removeu sacerdotes, decapitou a Ordem de Malta e a dos Franciscanos da Imaculada, ignorou cardeais. Onde está a sua misericórdia?”, diz a mensagem escrita na parte de baixo dos cartazes, em dialeto romano. Veja:

Reformas no Vaticano levam conservadores católicos a protestar contra o papa Francisco. Foto: divulgação

Como parte do protesto, um documento imitando o jornal oficial do Vaticano, chamado “L’Osservatore Romano”, foi distribuído a diversos cardeais, ao que parece, contendo perguntas enviadas por outros cardeais conservadores. A resposta para cada pergunta, “sic et non” (sim e não em latim), sugere que o Papa não possui uma posição definida sobre a doutrina da Igreja Católica, pondo em dúvida questões essenciais do ensino romano.
Os protestos contra o Papa se relacionam, na maioria, a ações do Pontífice contra conservadores no Vaticano, como a aposentadoria forçada de Stefano Manelli, fundador da ordem dos Frades Franciscanos da Imaculada, em 1970, assim como o suposto desprezo a quatro cardeais considerados “ultraconservadores” que enviaram um carta pública ao Papa para que corrigisse “erros doutrinários” na sua encíclica Amoris Laetitia, em referência a comunhão de divorciados que se casam pela segunda vez, entre outros.
Em resposta às críticas, um conselho de cardeais conhecido como “C9”, se reuniu e, diferente de outros momentos, resolveu divulgar uma nota pública em apoio ao Papa; “em relação aos recentes acontecimentos, o Conselho de Cardeais expressa o pleno apoio ao papa, assegurando, ao mesmo tempo, a adesão e o apoio pleno à sua pessoa e ao seu magistério”, diz a nota, segundo publicação da Folha.


Ainda segundo a matéria, o Papa não comentou muito os protestos, mas chamou no último domingo de “difamações e calúnias”, acrescentando que “estas sementes arruínam a nossa comunidade, que deveria brilhar por sua acolhida, solidariedade e reconciliação”, disse ele.
fonte; noticias.gospelmais.com.br
Jesus aparece a refugiados em travessia no mar e acalma tempestade

Jesus aparece a refugiados em travessia no mar e acalma tempestade


Quando uma forte tempestade ameaçou inundar um barco de pessoas que estavam fugindo do Oriente Médio, uma milagrosa aparição de Jesus Cristo acalmou as águas e salvou a vida dos refugiados.

O surpreendente testemunho foi compartilhado por Erick Schenkel, diretor do projeto “Jesus Film”, que tem alcançado povos que não conhecem o Evangelho em todo o mundo.
"Um grupo de refugiados que fugia dos conflitos no Oriente Médio ficou encurralado enquanto estava tentando atravessar o Mar Egeu para a Grécia”, relatou Schenkel. O mar era extremamente perigosos e muitos barcos que atravessavam a área viravam.

Mesmo com medo, Erick conta que os refugiados começaram a clamar a Deus. “De repente, uma figura celestial e brilhante apareceu no barco. Todo o barco sabia que era Jesus", ele relata.
O testemunho é semelhante à passagem bíblica descrita nos Evangelhos, onde uma tempestade no mar da Galiléia apavorou os discípulos de Cristo. No relato bíblico, Jesus repreendeu os ventos e o mar, que imediatamente se acalmaram. Os homens ficaram perplexos e perguntaram: "Quem é este que até os ventos e o mar lhe obedecem? "

Os refugiados estavam tão convencidos de essa foi uma experiência milagrosa e real, que decidiram entregar suas vidas a Jesus Cristo.
Além de enfrentarem uma perigosa travessia pelo mar, milhares de famílias de refugiados iraquianos e sírios passam suas noites em prédios abandonados, calçadas de lojas, garagens, espaços abertos e tendas escuras, segundo Erick.
fonte; guiame.com.br

ouça; NO CELULAR

Incêndios em Israel e Cisjordânia estão controlados, dizem autoridades

Incêndios em Israel e Cisjordânia estão controlados, dizem autoridades


                                                           


Não há fogos grandes, embora os aviões continuem jogando água em áreas como Haifa para prevenir qualquer esforço", declarou o representante da polícia em relação a uma das zonas mais afetadas, onde na quinta (24) foi necessária a evacuação de 80 mil pessoas quando as chamas se expandiram pela cidade. Cerca de 1,6 mil apartamentos ficaram totalmente danificados e 500 deles inabilitados na cidade, de acordo com a imprensa local.


 o fogo se estendeu também cisjordania onde a situação foi estabilizada neste domingo, afirmou o porta-voz dos bombeiros, Naal Algza, que garante ainda não terem sido registrados novos incidentes.
"Ontem [sábado, 26] só combatemos 35 incêndios na região de Nablus, uma grande redução em comparação com os 133 incidentes que enfrentamos na quinta-feira e 143 durante a sexta-feira. Hoje não foi necessário enviar efetivos", detalhou Algza.
Mais de dois mil hectares foram danificados após cinco dias consecutivos de incêndios, noticiou o jornal "Haarezt", com dados da Autoridade da Natureza e Parques de Israel. As autoridades israelenses consideram que muitos dos fogos foram provocados e o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, falou sobre uma "onda de terrorismo incendiário".
Na mesma linha, o ministro de Segurança Pública, Gilad Erdan, declarou na noite de sábado que Israel enfrenta um novo tipo de terrorismo e reivindicou a demolição das casas dos autores dos incêndios provocados por motivações políticas.
Israel mantém detidos 23 suspeitos de incitarem ou provocarem os fogos. Trinta pessoas foram interrogadas nos últimos dias, a maioria árabes israelenses, afirmou Rosenfeld. No total, dezenas de milhares de pessoas tiveram que ser evacuadas, embora a maioria já tenha sido autorizada a retornar para casa, exceto os que sofreram sérios danos em seus imóveis.
A extinção dos incêndios contou com a colaboração de diversos países, além da participação da Autoridade Nacional Palestina, a quem Netanyahu agradeceu pela assistência em uma ligação pessoal para o presidente Mahmoud Abbas.






Bombando na WEB