Uma página a serviço do Brasil:

Bolsonaro com paralisia no intestino


Atualizado; 04/02 -Jair Bolsonaro recuperou as funções fisiológicas na madrugada


Atualizado as 14;56 hrs
Como registramos mais cedo, o quadro de vômitos apresentado por Jair Bolsonaro ocorreu porque as movimentações de seu intestino delgado paralisaram.

Segundo especialistas ouvidos por O Globo, é como se a recuperação do presidente tivesse retornado à estaca zero. “E aí o tempo de internação pode subir para 15 dias”, afirmou um cirurgião do aparelho digestivo ao jornal carioca.




Atualizado as 12;11 hrs
"De acordo com a assessoria do Planalto, Jair Bolsonaro continua usando sonda para retirar líquido acumulado no estômago.


Informações mais detalhadas sobre o estado de saúde de Bolsonaro serão divulgadas em novo boletim médico, por volta das 17h deste domingo".


O cirurgião Antonio Macedo disse à Folha que as náuseas e vômitos apresentados por Jair Bolsonaro no último sábado ocorreram porque o intestino delgado dele parou de funcionar.

A condição clínica é chamada de “íleo paralítico”.

A declaração de Macedo contradiz os assessores da Presidência, que afirmaram ontem que os vômitos seriam uma “reação normal e decorrente da retomada da função intestinal”.



Outros especialistas ouvidos pelo jornal disseram que os sintomas apresentados por Bolsonaro representam uma piora no estado clínico e que no quinto dia depois da cirurgia, o paciente deveria estar comendo pela boca e evacuando.



-O repouso deveria ser absoluto!

Carlos Bolsonaro pediu oração ontem (3),  (leia aqui)

-Atualizado 03/02/ as 20;22 hrs -Deus é fiel, Bolsonaro está melhorando sem complicações

No Twitter, Carlos Bolsonaro afirmou que seu pai “acordou bem e animado”.


Compartilhe e alcance mais pessoas:

Seguir no twitter;



Deixe sua opinião, é muito importante:

Uma página de Direita, tudo sobre Moro e Bolsonaro:











Notícias Relacionadas

  • Volte para capa e leia mais >>>>> Leia mais...

  • .Direto da Fonte, com Rosinaldo Pereira

    .O lado oculto da política