Uma página a serviço do Brasil:

Governadores racham e discordam da estratégia de pressionar o Congresso que pressiona Bolsonaro a mantê-los a reforma do jeito deles




"Um racha.  -o grupo que reúne os 27 governadores do país está dividido, não sabem como pressionar o governo"


A tentativa de pressionar a Câmara a enquadrar estados e municípios na reforma da Previdência rachou o grupo que reúne os 27 governadores do país. Há divergências não só em relação à essência do projeto mas também ao estilo de atuação. Gestores do Nordeste têm dito que, no afã de liderar, João Doria (SP) e Ibaneis Rocha (DF) cometem erros “de principiante”. Há queixas em relação a ataques ao Congresso e avisos de que o ambiente “é de maratona, não de corrida de 100 metros”.


O impasse ficou explícito nesta quinta (6), quando ao menos três versões de cartas assinadas por governadores foram divulgadas. A primeira era uma minuta e acabou rechaçada pelos termos que usava; a segunda foi rejeitada por ao menos quatro gestores que constavam como signatários (os de PI, CE, SE e RN disseram não ter assinado); e a última só representava o Nordeste.


Os governadores do Nordeste querem que o relator da reforma da Previdência, Samuel Moreira (PSDB-SP), tire da proposta temas polêmicos, como mudanças nas aposentadorias rural e assistencial, o BPC, para depois entrarem em campo.

O recado foi repassado por Flávio Dino (PC do B-MA) ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Segundo aliados, ele disse que o democrata pode, sim, contar com a responsabilidade dos governadores da oposição, mas só depois de modificar os pontos mais problemáticos.


Compartilhe e alcance mais pessoas:

Seguir no twitter;



Deixe sua opinião, é muito importante:

Uma página de Direita, tudo sobre Moro e Bolsonaro:











Notícias Relacionadas

  • Volte para capa e leia mais >>>>> Leia mais...

  • .Direto da Fonte, com Rosinaldo Pereira

    .O lado oculto da política