.







Atualizado - Com 34 deputados presentes, a CCJ da Câmara finalmente alcançou o quórum mínimo.

A sessão destinada a votar a PEC da prisão na segunda instância começou.


O Congresso Nacional não deve se debruçar nesta segunda-feira (11) sobre propostas que tratam da possibilidade de prisão após condenação em segunda instância, uma vez que a reunião da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara prevista para debater o assunto nesta tarde não deve atingir o quórum.

O presidente da CCJ, deputado Felipe Francischini (PSL-PR), reconheceu ser difícil que seja alcançado o número mínimo de parlamentares na comissão nesta segunda, mas expressou otimismo para terça-feira. “Hoje provavelmente não haverá quórum, mas amanhã teremos”, disse Francischini.




O Centrão está atuando para impedir que a PEC da prisão na segunda instância seja votada na tarde de hoje na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.

A estratégia é mudar a composição do colegiado, sacando das vagas de titulares os deputados que estão no Congresso e votariam a favor da proposta.

A sessão, prevista para as 14h, ainda não começou.





PL (antigo PR) muda deputados na CCJ para travar PEC da 2ª instância


O Centrão está atuando para impedir a votação na tarde de hoje na CCJ da PEC da prisão em segunda instância.

O PL, antigo PR, tirou da vaga de titular o deputado Capitão Augusto, que está em Brasília, e colocou o depuado Gioavni Cherini, que está em tratamento médico no Rio Grande do Sul.

“Eu não pedi para sair, tem que ver por que o partido fez isso. Eu estou em Brasília”, disse Augusto a O Antagonista.


Assista; 

Deixe sua opinião

todos os comentários é de inteira responsabilidade do leitor

Postagem Anterior Próxima Postagem