DESTAQUE

GILMAR MENDES PODE SER AFASTADO NO INÍCIO DA SEMANA compartilhe!

Presidente da associação dos magistrados do brasil pede o afastamento de Gilmar Mendes O  afastamento de Gilmar Mendes ...

Anúncio

URGENTE; TRF-4 diminuem pena de condenados corruptos aplicada por "Moro"


terça-feira, 7 de novembro de 2017




 TRF-4 diminuem pena de condenados corruptos aplicada por "Moro"



Os pensamentos dos juízes do nosso pais parece não está em conformidade com o código penal para aplicação da lei. 
O juiz federal Sergio Moro responsável pelos processos da lava jato vem sofrendo impacto negativo com decisões vindas do "TRF,STF".

Hoje mais um fato chamou a atenção dos brasileiro que estão acompanhando os processos na lava-jato.

leia mais; 

Rachel Sheherazade pode ganhar apoio de Bolsonaro para concorrer em 2018



TRF-4 diminuem pena de condenados corruptos aplicada por "Moro".
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) julgou hoje (7/11), no início da manhã, a apelação criminal do ex-presidente da construtora OAS José Aldemário Pinheiro Filho, do ex-diretor da UTC Engenharia Walmir Pinheiro Santana e do ex-senador Jorge Afonso Argello (Gim Argello). Eles tiveram as penas reduzidas.




Os desembargadores da 8ª Turma entenderam que o crime de embaraço à investigação não foi autônomo, mas parte dos delitos de corrupção por eles praticados, tendo a condenação sido mantida apenas em relação a estes últimos.

LEIA MAIS;

Moro nega pedido de Lula e diz que defesas não acompanharão perícia em sistemas da Odebrecht


No mesmo processo, o Ministério Público Federal (MPF) recorreu contra a sentença de outros cinco réus absolvidos em primeira instância por falta de prova suficiente, os ex-diretores da OAS Roberto Zardi Ferreira e Dilson de Cerqueira Paiva Filho, o ex-secretário-geral da Câmara Legislativa do Distrito Federal Valério Neves Campos, o filho de Gim Argello, Jorge Afonso Argello Júnior, e o ex-assessor dele Paulo Cesar Roxo Ramos. O tribunal, entretanto, manteve as absolvições.
Na ação, o ex-senador Gim Argello foi denunciado por solicitar a alguns dirigentes de empreiteiras pagamento de vantagem indevida para protegê-los, inclusive deixando de convocá-los para depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito, instaurada no Senado para apurar crimes ocorridos na Petrobras, e na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito, instaurada no Senado e na Câmara para apurar esses mesmos crimes durante o ano de 2014.


Argello teria solicitado a Ricardo Ribeiro Pessoa, dirigente da empresa UTC Engenharia (que fez acordo de colaboração premiada e nãorecorreu), cinco milhões de reais, que foram pagos na forma de doações eleitorais registradas a partidos indicados pelo ex-senador.
Walmir Pinheiro Santana, diretor financeiro da UTC Engenharia, auxiliou Ricardo Ribeiro Pessoa nos pagamentos. O réu também teria solicitado propina a outras empreiteiras, mas estas não teriam realizado o pagamento.
Os demais réus na ação foram denunciados por fazer a intermediação entre as empreiteiras e Argello.
O ex-presidente da empreiteira UTC engenharia, Ricardo Ribeiro Pessoa teve a pena reduzida de ofício pelo tribunal.
Essa é a 20ª apelação criminal da Operação Lava Jato julgada pelo tribunal. A sentença de primeira instância foi proferida pela 13ª Vara Federal de Curitiba no dia 13 de outubro de 2016.
Veja como ficaram as condenações:
Jorge Afonso Argello (Gim Argello) – condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A pena passou de 19 anos para 11 anos e 8 meses de reclusão;
Walmir Pinheiro Santana – condenado por corrupção ativa e lavagem de dinheiro. A pena passou de 9 anos, 8 meses e 20 dias para 6 anos e 2 meses;
José Adelmário Pinheiro Filho – condenado por corrupção ativa e lavagem de dinheiro. A pena passou de 8 anos e 2 meses para 5 anos, 6 meses e 3 dias;
Ricardo Ribeiro Pessoa: condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A pena passou de 10 anos e 6 meses para 7 anos.
Execução da Pena
A execução da pena poderá ser iniciada pelo juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba assim que passados os prazos para os recursos de embargos de declaração (2 dias) e de embargos infringentes (cabem no caso de julgamentos sem unanimidade, com prazo de 10 dias). Caso os recursos sejam impetrados pelas defesas, a execução só se dará após o julgamento desses recursos pelo tribunal.






  • ""DINHEIRO EM AÇÃO/ AGORA É SUA VEZ""




  • BOMBANDO NO GOOGLE


    Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial
    • LULA PRESO E ISOLADO DE TUDO, A DEPRESSÃO CHEGOU AS PORTAS Ex-condenados da operação Lava-Jato dizem que o ex-presidente Lula pode não suportar a solid...
    • A saída da pressão alta está em um chocolate chocolate e cacau são duas coisas diferentes. Cacau é o componente livre de gordura da massa de cacau, o extr...

    as mais lidas da semana

    Assine e receba nossas notícias grátis:



     
    JORNAL 21 BRASIL .
    jornal do brasil, jornal 21, notícias de Bolsonaro, política do brasil, porque lula vai ser preso, Jornalismo livre, a tragetoria de Sergio Moro, notícias do brasil, notícias de Sergio Moro, notícias de lula, lula preso, lula na cadeia, operação lava-jato




  • ""CONHEÇA ""SOCIAL VIVA VIDA"" a mais nova Rede social da família""

  • ""JORNALISMO LIVRE""
  • ""JORNAL 21 BRASIL""

  • "Jornal 21 brasil fornece as últimas noticias e vídeos diretamente do mundo da indústria do entretenimento e da política. Contato: rosinaldolima53@gmail.com"

  • ""VISITE NOSSA RÁDIO/ VIVA VIDA FM""


  • ""O SEU JORNAL DIGITAL 24 HORAS POR DIA, 7 DIAS POR SEMANA. ""