.






De acordo com o G1, “a votação foi articulada entre alguns senadores e o ministro Sergio Moro”.

Davi Alcolumbre anunciou a votação de um projeto de lei que visa autorizar a prisão após condenação em segunda instância, diz a Crusoé.

Segundo ele, a proposta deve ser votada tanto na CCJ quanto no plenário da casa já nesta quarta-feira.

A votação foi anunciada após uma reunião de um grupo de senadores com o ministro Sergio Moro. A ideia é resgatar um projeto do senador Lasier Martins, do Podemos. A relatoria deve ser feita por Selma Arruda, do Podemos, que relatava a PEC sobre o tema que iria a votação na CCJ.



-Esperamos que o congresso atenta as expectativas do povo brasileiro e assim seja melhor avaliado.



6 X 5 para a prisão em segunda instância



Ives Gandra Martins diz que, se o Congresso Nacional aprovar uma lei permitindo a prisão em segunda instância, o STF não vai se opor.


Leia um trecho de seu artigo para o Estadão:



“Quando das conversas com os amigos e constituintes Bernardo Cabral, Ulysses Guimarães e Roberto Campos, assim como com os ministros Moreira Alves, Sydney Sanches e Francisco Rezek, da máxima Corte, à época da Constituinte – na oportunidade escrevi pequeno livro para 66 constituintes intitulado Roteiro para uma Constituição, veiculado pela Editora Forense –, defendia a tese de que os tribunais superiores deveriam ter a função de dar estabilidade às instituições, cabendo às instâncias inferiores fazer justiça. É o que ocorre com a Suprema Corte dos Estados Unidos e com os tribunais constitucionais dos regimes parlamentares europeus (…).


Pessoalmente, entendo, ao concluir este artigo, que se o Congresso Nacional aprovar a execução de sentença a partir da decisão de segunda instância em matéria penal, por 6 votos a 5 a Suprema Corte confirmará sua constitucionalidade.”

Deixe sua opinião

todos os comentários é de inteira responsabilidade do leitor

Postagem Anterior Próxima Postagem