URGENTE! MATÉRIA EM DESTAQUE

LEIA O TEXTO COMPLETO QUE BOLSONARO COMPARTILHOU E FERVEU TODOS OS PODERES

Por; Rosinaldo Pereira  Bastaram 5 meses de um governo atípico, “sem jeito” com o congresso e de comunicação amadora pa...

Presidente do STF, Dias Toffoli, desmoralizado em plenário do Supremo

Presidente do STF, Dias Toffoli, desmoralizado em plenário do Supremo



"A desmoralização de Dias Toffoli"

Não resta alternativa ao plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) senão suspender o malfadado inquérito da censura aberto por seu presidente, o ministro Dias Toffoli, absolutamente inconstitucional, sem qualquer lastro de legalidade.


O relator da ação que questiona o caso, ministro Edson Fachin, optou por levá-lo para votação em plenário e já requereu ao presidente que inclua o pedido de liminar na pauta de votações.
Não há dúvidas de que Toffoli será fragorosamente derrotado. Terá possivelmente somente o voto do parceiro de empreitada Alexandre de Moraes e, talvez, de Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski.


Veja agora antes que seja denunciado; BOMBA! Rodrigo Maia trabalha para levar a médio prazo Bolsonaro ao Impeachment não aprovando a MP 870

Sai do episódio completamente desmoralizado, devendo explicações para a sociedade e, pior, para a própria Justiça.
Delegado da PF trata Toffoli como “Zezinho” (veja, O reino de Zezinho)

Delegado da PF trata Toffoli como “Zezinho” (veja, O reino de Zezinho)




Para o delegado Paulo Cassiano Junior, da Polícia Federal de Campos dos Goytacazes no Rio de Janeiro, o ministro José Antonio Dias Toffoli, que ele identifica apenas como ‘Zezinho’, deve ter tido ‘excesso de paparico’ ou algum ‘trauma de infância’.
Em artigo publicado para o site Terceira Via, o delegado critica a censura imposta a revista Crusoé e afirma que ‘Zezinho’ usa a segurança que tem de sua impunidade para fazer o que quer.
Cassiano ainda cobra esclarecimentos do ministro sobre o seu codinome, revelados em e-mails da Construtora Odebrecht, “Amigo do amigo do meu pai”.
Veja abaixo a integra do texto intitulado “O reino de Zezinho”

"Ele nasceu José, José Antônio para ser exato, mas como não há José que escape do apelido, antes mesmo do batismo ele já era Zezinho.

Talvez por insegurança, excesso de paparico ou trauma de infância (não se sabe bem por quê), desde cedo Zezinho ficava muito bravo todas as vezes em que era contrariado. Veio daí o sonho de um dia ser rei, de viver numa terra onde pudesse mandar e desmandar e não precisar dar satisfações a ninguém.
Quando cresceu um pouquinho, o garoto ficou muito triste ao se dar conta de que a monarquia não existia mais por aqui. Muito perspicaz, a tristeza de Zezinho se transformou em esperança ao perceber que é possível ser rei num país republicano como o Brasil. Seu sonho estava vivo.
Para se tornar presidente do Supremo Tribunal Federal, Zezinho investiu um tempo estudando Direito, porém não o bastante para se tornar juiz de carreira. A reprovação em dois concursos para a magistratura não desanimou o jovem. Se não estava dando pelo intelecto, então que fosse pela política.

Obstinado em perseguir seu propósito, Zezinho tornou-se assessor jurídico do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados e advogado da agremiação em várias campanhas eleitorais. A dedicação de Zezinho aos petistas não passou sem recompensa: um outro Zé, que também queria ser rei, levou-o para a subchefia de assuntos jurídicos da Casa Civil da Presidência da República. Não tardou muito para que o então presidente o nomeasse Advogado-geral da União. Degrau por degrau, Zezinho escalava o seu objetivo. A sorte voltou a sorrir para ele quando uma vaga foi aberta na mais alta corte do país. Seu chefe não lhe faltou. Ele chegou lá!

Agora no comando do Supremo Tribunal Federal, Zezinho finalmente realizou o seu sonho de infância. Quando recebe críticas públicas, logo aciona outro coleguinha de toga para instaurar inquérito (e depois julgá-lo). Se uma revista publica um documento no qual Zezinho é citado por um grande empreiteiro preso por corrupção, a matéria é censurada. Tudo em nome da lei, claro. Ser o rei de uma república concede a Zezinho o benefício de travestir a prepotência dos monarcas em oratória democrática.
Zezinho é adepto não somente das bocas fechadas, mas também das celas abertas. Acolheu um “habeas corpus” e prontamente mandou soltar o outro Zé, seu ex-chefe, preso por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Como o cargo de Zezinho é vitalício, não existe “habeas corpus” que nos livre dele.


Seguro de sua total impunidade, Zezinho faz o que quer. O controle de seus atos e de sua produtividade é tão tímido quanto duvidoso, pois não há súdito que não tema o rei. Em vez de prestar esclarecimentos sobre a relação que mantinha com uma empreiteira envolvida em escândalos de corrupção, o amigo do amigo do pai de Marcelo Odebrecht simplesmente ignorou o questionamento. Goza de todas as prerrogativas e mordomias possíveis. Caso esteja estressado, pode desfrutar de alguns dos 90 dias de folga do calendário do STF para 2019 (os mais de 41 mil processos da corte podem esperar um pouquinho). Se um dia matar alguém, algum coleguinha pode sugerir que se aposente.
Não é ruim a vida de Zezinho no reino da república do Brasil."

O maior medo de Toffoli; Se houve crime, na época ele não detinha foro especial




"O maior medo de Dias Toffoli"
A prerrogativa de foro especial: o entendimento vigente no Supremo Tribunal Federal (STF) é que o Foro Privilegiado é atributo do cargo e, portanto, só é um direito quanto aos ilícitos praticados no exercício do mandato e/ou função pública.

A colaboração premiada de Marcelo Odebrecht, na qual surge o fatídico e-mail citando negociações supostamente criminosas com Dias Toffoli, faz referência à época quando ele ainda não ocupava cadeira no STF. As negociatas datam de período quando Toffoli ainda era titular da Advocacia-Geral da União, no governo Lula.


Então estamos falando de investigação sobre supostos crimes cometidos nos tempos de AGU, antes de Dias Toffoli adquirir o direito ao foro especial de acusação, processo e julgamento apenas no Senado Federal e no próprio STF.

Noutras palavras, de acordo com a tese que aqui estou aventando, a Justiça Federal do Paraná, no âmbito da Operação Lava Jato, teria a prerrogativa de investigar e punir o atual presidente da Suprema Corte, vez que estamos falando de ilícitos alheios ao atual mandato de Toffoli.


Será que foi o medo da possibilidade de alguém levantar essa lebre que levou Dias Toffoli a figurar como autor e protagonista de um dos maiores descalabros jurídicos da História do Brasil?
Dias Toffoli não aguenta mais a frase; “Viva o Supremo e fora Toffoli” #compartilhe!

Dias Toffoli não aguenta mais a frase; “Viva o Supremo e fora Toffoli” #compartilhe!



“Viva o Supremo e fora Toffoli”

“Gritar ‘Viva o Supremo e fora Toffoli’ é crime?”

E também:


“É difícil, ou fácil demais, entender quando um acusado diz que é um ataque contra a Câmara, o Senado, ou o Supremo, usando a instituição como escudo, como se a parte fosse o todo. Lembra velhos coronéis bradando ‘Minas não tolerará essa afronta’ ou ‘o Ceará não se curvará’ como se fossem o Estado a serviço da sua vontade.”

-Vergonha mesmo, usarem o Supremo como escudo para atitudes que devem responder como indivíduos. O Supremo NÃO é nenhum deles.

-Que viva sempre o Supremo, e #foraToffoli.

#compartilhe!

Depois da derrota pela censura imposta, Toffoli atende a pedido de petista e libera lula para da entrevista



Dias Toffoli, atendendo a um pedido dos petistas Wadih Damous e Paulo Pimenta, liberou o presidiário Lula para dar entrevistas.

Agora, sim, pode, visto que o corrupto e lavador de dinheiro não poderá tumultuar processo eleitoral em curso.

-Alexandre de Moraes derrubou a censura sobre a reportagem "O amigo do amigo de meu pai", da revista Crusoé, bem como sobre os posts correlatos de O Antagonista.


Opinião; Depois da derrota pela censura imposta, será que ele deu o troco com a liberação de entrevista ao presidiário Lula?.
-Uma vergonha esse Supremo, com um presidente que nunca foi juiz.

Toffoli divulga fake news? então veja!

Toffoli divulga fake news? então veja!



O ministro Dias Toffoli insiste em dizer que não censurou a Crusoé e O Antagonista.

A matéria publicada pelo site Crusoé e em notas por o Antagonista, denuncia o maior escândalo de um ministro do STF, Supremo Tribunal Federal.

O documento existe sim!
O juiz federal Luiz Antônio Bonat, substituto de Sérgio Moro, se manifestou dizendo que determinou a retirada do documento dos autos, em atendimento ao Ministério Público Federal, para que o mesmo fosse encaminhado para providências pela Procuradoria-Geral da República (PGR).



Como se trata de autoridade com foro privilegiado, no caso o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, cabe a PGR tomar as providências cabíveis.

De qualquer forma, que fique bem claro, o documento existe, "o amigo do amigo de meu pai", certo!

Portanto, Dias Toffoli foi mesmo citado por Marcelo Odebrecht como o personagem do codinome “O amigo do amigo do meu pai”.

A fake news de Dias Toffoli, eu não censurei a Crusoé. -Sem ofendê-lo ministro, isso sim é fake news, o documento existe!.

Toffoli disse que a liberdade expressão tem limites, e o STF não tem?

Toffoli disse que a liberdade expressão tem limites, e o STF não tem?



Toffoli disse que a liberdade expressão tem limites, e o STF não tem?

Em palestra hoje na Congregação Israelita Paulista, Dias Toffoli disse que os limites da liberdade de expressão estão estabelecidos na própria Constituição e que não se pode deixar que o “ódio” entre na sociedade.


Segundo a Folha, sem falar especificamente da censura à Crusoé, determinada na semana passada, o presidente do STF afirmou que existe um uso abusivo do direito, que é preciso ser praticado “em harmonia com os demais direitos”.



-Sem ofendê-lo, Gostaria que o “amigo do amigo de meu pai” dissesse onde está o abuso quando a imprensa diz a verdade e apresenta a prova.

“Marcelo Odebrecht enviou à PF e ao MPF, outros emails que Toffoli também foi creditado apenas com a letra ‘T’



A Folha de S. Paulo informa que “Marcelo Odebrecht enviou à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal outros emails que trariam menções ao ministro Dias Toffoli.



Segundo pessoas que tiveram acesso aos documentos, além do apelido ‘amigo do amigo do meu pai’, Toffoli também foi creditado apenas com a letra ‘T’ em algumas mensagens”.

O Ministro do STF, Alexandre de Moraes, determinou que Crusoé retirasse “imediatamente” do ar a reportagem de capa da última edição, intitulada “O amigo do amigo de meu pai”, no entanto, Marcelo Odebrecht que é delator na lava jato, enviou à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal outros emails que afermentou o assunto, já que não tem investigação, a letra "T", se referindo a Dias Toffoli.




-Será que a Folha também vai ser censurada?




Os absurdos de Alexandre de Moraes

Os absurdos de Alexandre de Moraes

Os absurdos de Alexandre de Moraes

Alexandre de Moraes usou a nota da PGR que diz que não recebeu o documento da Lava Jato sobre o “amigo do amigo de meu pai”, para acusar a Crusoé de fabricar fake news (um evidente absurdo, porque não é disso que a reportagem trata), mas não reconhece a PGR como a legítima titular do inquérito aberto de ofício por Dias Toffoli. Outro absurdo, porque contraria o ordenamento jurídico.

-Alexandre de Moraes puxando corda para se enforcar!


Alexandre de Moraes peita PGR, rejeitou o aquivamente e mentem a todo vapor o andamento do inquérito aberto por Dias Toffoli



Alexandre de Moraes rejeitou a recomendação da Procuradoria Geral da República e manteve o andamento do inquérito aberto por Dias Toffoli sobre supostos ataques ao Supremo Tribunal Federal.

Considerou que o STF pode conduzir investigações com a Polícia Federal, independentemente do Ministério Público.



“Não se configura constitucional e legalmente lícito o pedido genérico de arquivamento da Procuradoria Geral da República, sob o argumento da titularidade da ação penal pública impedir qualquer investigação que não seja requisitada pelo Ministério Público”, escreveu o ministro, citando decisão semelhante da Segunda Turma do STF, de relatoria de Gilmar Mendes.

-Estão disputando pra ver quem passa mais vergonha, ler mais...

Erros gravissímo em decisão de Toffoli contra jornalistas da Crusoé e o Antagonista "O apelido se refere a Toffoli, não ao tribunal"

Erros gravissímo em decisão de Toffoli contra jornalistas da Crusoé e o Antagonista "O apelido se refere a Toffoli, não ao tribunal"



Erros gravissímo em decisão de Toffoli contra jornalistas da Crusoé e o Antagonista.

O apelido revelado pela Crusoé se refere a Toffoli, não ao tribunal.

Bernardo Mello Franco, em O Globo, comentou:


“Ao se queixar da reportagem, Toffoli determinou a ‘devida apuração das mentiras recém divulgadas por pessoas e sites ignóbeis que querem atingir as instituições brasileiras’. A frase contém dois erros. Um ministro do Supremo não deveria atacar jornalistas nem se confundir com a instituição que integra.



O apelido revelado pela Crusoé se refere a Toffoli, não ao tribunal. Ele é um entre 11 juízes e ocupa a presidência em caráter temporário, graças a uma regra de rodízio. O ministro deveria explicar a mensagem, que foi passada à Lava Jato pelo empresário Marcelo Odebrecht. Preferiu atacar o mensageiro, a revista que revelou o seu codinome.”




documento que foi retirado do processo de Marcelo Odebrecht deve ser devolvido para os autos, como fica o Toffoli?



O STF está exercendo o direito ao contraditório, só que pela maneira fácil. 
Ao invés de se explicar, o que pode ser difícil ou até impossível, mandam calar a boca de quem o falou. Com isso fica subentendido a mesma ameaça a outros que se dispuserem a manter o assunto em pauta até os próximos desdobramentos.

No entanto, o documento que foi retirado do processo logo após a censura a revista Crusoé, deve ser devolvido para os autos, já que é parte do depoimento de Marcelo Odebrecht delator na lava jato. -Será que a PGR vai investigar o Ministro Dias Toffoli?



-Com a palavra, o Antagonista.
Um dia depois da reportagem de Crusoé –agora censurada– sobre Marcelo Odebrecht e Dias Toffoli, o documento com a explicação do dono da empreiteira foi retirado do processo.

A documentação foi tirada dos autos após um despacho do juiz da 13ª Vara Federal em Curitiba. Como o inquérito está sob sigilo, não estão claros os motivos.

Davi Alcolumbre garante, "não tem impeachment de ministros do Supremo nem que a vaca tussa"

Davi Alcolumbre garante, "não tem impeachment de ministros do Supremo nem que a vaca tussa"



Em sua entrevista ao Estadão, Davi Alcolumbre comentou a possibilidade de pautar impeachment de ministros do Supremo:

“Isso que não está na pauta e nem está passando na cabeça do presidente do Senado pautar isso. Estamos vivendo um momento delicado para o Brasil. Uma briga institucional não vai fazer bem para 200 milhões de brasileiros.”



-Agora vemos como Alcolumbre ganhou a presidência do senado.  Um suposto "acordão" para livrar os ministros das cortes superiores e estes continuarem defendendo políticos Corruptos. Seria isto mesmo, ou um mero pesamento meu?


Ministros intensificam para barrar pedidos de impeachment de membros do STF e qualquer possibilidade de a CPI da Lava Toga

Ministros intensificam para barrar pedidos de impeachment de membros do STF e qualquer possibilidade de a CPI da Lava Toga



O STF não pode ficar acima da lei.

-Membros do STF não são Supremo.

Nos corredores do Senado, há uma certeza depois da reportagem de hoje da Crusoé: o STF vai intensificar seus movimentos nos bastidores para barrar pedidos de impeachment de ministros e qualquer possibilidade de a CPI da Lava Toga vingar.

-Quem deveria reagir somos nós cidadãos conscientes que estamos sendo feitos de idiotas! -O Congresso tem que reagir em nome da sociedade, o STF não pode ficar acima da lei.

Mais revelações sobre Dias Toffoli (veja o vídeo)



Na Jovem Pan, Augusto Nunes, José Maria e Felipe Moura Brasil aprofundam comentários a respeito das revelações da revista eletrônica Crusoé, que informa o codinome de Dias Toffoli na lista de propinas concedidas pela Odebrecht.

ouça:




Sergio Moro puxou com muita força a orelha de Dias Toffoli

Sergio Moro puxou com muita força a orelha de Dias Toffoli



O puxão de orelha em Dias Toffoli 

O Ministro da justiça e segurança pública Sergio Moro, puxou a orelha de leve em Dias Toffoli em reunião fechada com grupo da Câmara que debate lei penal.

Ao falar da sua proposta de cumprimento imediato de sentença de tribunal de júri em casos de homicídios, lembrou que a Primeira Turma do STF tem essa posição.



“Digno de nota destacar que compõe essa maioria da turma o ministro Dias Toffoli, que, embora tenha uma posição um pouco diferente em segunda instância, vota pela execução do veredicto do tribunal de júri”.

Veja também; O impeachment do ministro Dias Toffoli

O impeachment do ministro Dias Toffoli



Carvalhosa é incansável!

-Este senhor com mais de 80 anos, é um exemplo para os jovens brasileiros.

Modesto Carvalhosa vai apresentar ao Senado um novo pedido de impeachment do ministro Dias Toffoli, com base na reportagem da Crusoé.

Para o jurista, o atual presidente do STF “não tem condições de se manter no cargo diante dessas informações gravíssimas”.



Em documento a que a revista teve acesso, Marcelo Odebrecht revelou à Lava Jato que o codinome usado para se referir a Toffoli na empreiteira era “o amigo do amigo de meu pai”. Leia aqui




A casa caiu! -Dias Toffoli, o presidente do STF, tinha codinome nas planilhas da Odebrecht



Uma reportagem bombástica foi divulgada nesta quinta-feira (11) pela Revista Crusoé.
Um documento explosivo teria sido enviado pelo delator Marcelo Odebrecht e juntado a um dos processos da Lava Jato.

“Amigo do amigo do meu pai”, conforme consta nas planilhas de propina da empreiteira se refere a José Antonio Dias Toffoli, atual presidente do Supremo Tribunal Federal.
A reportagem da Crusoé esmiúça detalhes da “fantástica” descoberta e gera uma grande interrogação. Diz a reportagem:



“A menção a Dias Toffoli despertou, obviamente, a atenção dos investigadores de Curitiba. Uma cópia do material foi remetida à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para que ela avalie se é o caso ou não de abrir uma frente de investigação sobre o ministro – por integrar a Suprema Corte, ele tem foro privilegiado e só pode ser investigado pela PGR.”


E prossegue:
“Se havia a certeza de que o ‘amigo de meu pai’ era Lula, ainda era um enigma quem seria o tal ‘amigo do amigo de meu pai’. Sabia-se que, provavelmente, era alguém próximo a Lula. Mas faltavam elementos para cravar o ‘dono’ do codinome e, assim, tentar avançar na apuração. A alternativa que restava era, evidentemente, perguntar ao próprio Marcelo Odebrecht. E assim foi feito.”

E tem mais;  Carvalhosa é incansável! impeachment do ministro Dias Toffoli, com base na reportagem da Crusoé





Fora do Brasil, Toffoli de olho nos militares "o medo de uma intervenção"

Fora do Brasil, Toffoli de olho nos militares "o medo de uma intervenção"



Medo?

O ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal, está de olho nos militares.

Ele disse que não vê chances de, num eventual fracasso na passagem de Jair Bolsonaro pelo Palácio do Planalto, os militares darem um golpe e fazerem um governo à maneira deles. A declaração foi dada no sábado, 6, em Boston, onde ele participa de um fórum sobre os rumos do Brasil frente ao cenário mundial.



“Não há como eles (os militares) assumirem o Poder num flagrante desrespeito à Constituição”, declarou o ministro, ao ser questionado por Oscar Vilhena, mediador do debate. “Os militares não desejam fazer o papel de um poder moderador”, garantiu o presidente do STF, numa referência ao regime implantado em 1964 que perdurou por 21 anos.



Elogios aos militares? -ou medo?
Depois de elogiar a atuação dos militares que têm cargos no governo o ministro sublinhou que os generais executam um papel de “excelência” e que são ciosos da democracia. “Não temos de temer uma solução militar. Não haverá”, afirmou.

-A sociedade de bem ainda clama por duas coisas; #Toffoli, e por uma "#intervençãomilitar"

Davi Alcolumbre barra a CPI da Lava Toga




O presidente do Senado, Davi Alcolumbre disse que não existe a menor hipótese de ele levar adiante  a chamada CPI da Lava Toga 





Alcolumbre (DEM-AP), disse ao Poder360 que não existe a menor hipótese de ele levar adiante qualquer tentativa de investigação contra o Supremo neste momento. Para o demista, a chamada CPI da Lava Toga criaria 1 embate desnecessário entre Legislativo e Judiciário. 

Não é o momento para discutir isso no Brasil. Não podemos criar 1 embate desnecessário entre os Poderes. É hora de cada Poder continuar a ter sua prerrogativa de trabalhar de maneira independente e em harmonia com os demais”, diz o presidente do Senado.

Nesse caso, o Ministro Gilmar Mendes continuará sendo o Rei da cocada preta. -Agora! só as Forças Armadas para nos ajudar. 

Compartilhem! #FFAANOSTF